quarta-feira, 21 de outubro de 2015

Sinfonia



      Num dia vejo as coisas mudarem!

    O que hoje não faz sentido era minha total dedicação anteriormente, um castelo se ergueu em minha frente e com um vento ele se desfez como os castelos de areia são, frágeis.
Em muito pouco tempo vi as coisas mudarem, vi minha vida mudar, dia após dia e hoje não vejo nada a não ser a mudança que em mim ficou. Não sei dizer o que exatamente isso significa. Parece que vivi em um sonho e de repente acordei, num susto brusco, e então vi ele desaparecer numa nevoa.
    De nota em nota, tom e melodia construí uma música, uma bela sinfonia, um maestro surgiu, a partir de uma improvisação pouco elaborada. 
    Os instrumentos começam suaves, num momento Disney, de magia e encanto,erguendo um forte de ferro em brasa de bandeira vermelha ateada, 
    Que no fogo se aquece tento um tempo acelerado com instrumentos a ritmar a música, como um beijo ardente de um inicio de uma paixão.
   Violinos recheiam a sinfonia criando o enredo do romance de uma noite, olhares, calor e os calafrios que viriam a chegar. Logo após do desejo esmaecer.
   Uma harpa a melodia se completa, com uma decida a elaborar e numa queda continua se faz desabar até uma unica nota restar, persistente e longa, num tempo milimétrico como um relógio. Com o mesmo ritmo a marcar a mesmice de um tempo na penumbra de um quarto fechado.

- Caio Bigliazzi

Continue Lendo ►