sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Capitulo 72 – Pedido de desculpas



Capitulo 72 – Pedido de desculpas


Ela o encarava esperando alguma resposta.
-Fala pai, pra que veio? Pra me fazer sofrer mais? Pra me maltratar mais? – ela gritava com ele. – Eu não quero você aqui! – gritou ela com mais força. – Sai daqui! – ela gritava histericamente. – VAI EMBORA AGORA! VAI! EU NÃO QUERO VOCÊ AQUI, NÃO QUERO TE VER! SOME! – começou gritar ela sem limites e ele começou a chorar.
Ela começou a chorar junto a ele, e ainda continuava a gritar, até que eu intervi!
-HEY ALINE! Chega! – ela olhou para mim assustada pra mim. – Se calma! Isso faz mal pra você e pro Arthur! – ela se acalmou na hora ao ouvir minha voz, e sua respiração era ofegante. – Por favor, para linda, não quero você assim! – falei dando um beijo carinhoso na testa dela.
Ela me abraçou e se reconfortou nos meus braços.
Mas agora amargo e áspero, dirigi as palavras ao pai dela:
-Oque você veio fazer aqui?
...
...
Ele se assustou com a diferença de tons com qual falei com ele, mas mesmo assim continuou calado, e um pouco tremulo.
-E então, vai falar alguma coisa ou vai ficar ai parado? – falei num tom mais suave.
-Eu ... – ele começou com a vós tremula. – Eu... Vim falar com ... – ele repensou e voltou a falar. – Me desculpar na verdade, com ... com você ... vocês!
A Aline arregalou os olhos animada, mas logo enrijeceu o rosto novamente.
-Hum. – bufei.
-Eu sei, que eu não sou a pessoa... Com qual vocês ... Queiram conversar, mas ... – ele estava nervoso, e falava, quase aos sussurros e com a voz totalmente tremula. – Eu gostaria muito que me ouvissem...
-E oque acha oque estamos fazendo agora? – respondi o interrompendo, ele ficou mais sem graça ainda, e começou a mexer com as mãos.
-Ah sim! – respondeu ele sem graça.
Pairou um silêncio no quarto, enquanto o pai dela achava as palavras para começar a falar.
-Bom... Filha... Eu vim lhe pedir... desculpa... perdão. Por eu ter sido... – ele parou e logo continuou. – O pior pai do mundo! Quando você nasceu, eu era tão diferente, de hoje. E quando te vi pela primeira vez ... Eu chorei ... por ver seu rosto lindo, por ver minha linda menina.
Eu comecei a sentir os batimentos da Aline, que agora eram mais fortes.
-Mas depois, que... Que... Que... sua mãe... – ele deu uma longa pausa. – Morreu! –ele respirou fundo e continuou. – Eu fiquei sem rumo, sem ... nada! – ele não aguentou e começou a chorar.
Os batimentos da Aline aumentaram e ela tentava segurar o choro.
-E ao invés de te ajudar eu, eu ... acabei me afundando mais, e fui ... te ... te perdendo, a minha filinha querida e... amada. – agora a voz dele era mais tremi-la por causa do choro. – Eu perdi a cabeça, mesmo se eu quisesse achar explicação, para tudo oque fiz, eu não acharia, porque... Porque não tem ... Explicação... muito menos motivo. – ele mantinha a cabeça baixa e escondia o rosto coberto de lagrimas. - Eu sei que, eu sei que eu não fui uma pessoa descente para você, e te maltratar foi... Ainda é ... A coisa mais terrível e aterrorizante que eu já fiz. Ainda mais para a pessoa que eu amava!
Ele esperou alguma resposta, mas não obteve nenhuma.
-E eu quero, pedir perdão, à você Felipe ... Pois você só queria ajudar, ela. E eu... simplesmente, atrapalhava, a felicidade dela. –ele engoliu o choro e voltou a falar. – Eu quero lhe agradecer, por tela ajudado! E...
-Não tem que agradecer. – interrompi rudemente. – Alguém tinha que fazer alguma coisa.
Ele se encostou na parede, e percebeu que se desculpar não seria o suficiente.
-Filha... Eu estou me cuidando! Eu fui pra uma clinica de reabilitação! – começou ele chorando. – Só porque... eu queria, minha filha de volta...
- E dai? – falou a Aline, o interrompendo. – Agora você achar que eu vou te abraçar e falar que você é o melhor pai do mundo? – ele começou a chorar e tentou falar algo mas a Aline não deixou. – Você me machucou muito! E não vai ser de uma hora pra outra que tudo vai voltar a ser oque era.
-Aline... Mas eu só...
-Já chega! – impôs ela. – Vá embora agora!
Eu me levantei, e fui em direção a porta e esperei ele me seguir.
-Me liga! – disse ele antes de deixar o quarto.
Descemos, calados, e ao chegarmos lá embaixo, abri a porta sem olhar para ele.
-Felipe ... Converse com a ...
-Isso depende de você, não de mim! – afirmei fechando a porta.
Voltei para o quarto e a Aline, já havia tirado a camiseta e deitado novamente. E começamos a conversar, enquanto eu tirava a roupa.
- Meu pai foi tão fofo!
-Ele foi certo e descente.
-Você acha que fomos muito duros com ele?
-Não! Nós fizemos o certo! Deixa ele correr atrás um pouco.
-Uhum, oque vem fácil, vai fácil.
-Mas agora chega! Vamos ficar juntinhos.
Deitei ao lado dela, e a abracei e ficamos ali de baixo dos edredons, por um bom tempo.
...
...
Capitulo 73 – Um novo membro.
Os dias se passavam e o cantado deles era cada vez maior, e ver a Aline cada dia mais feliz, me animava mais.
...
Continua...

2 comentários :

Nayana Cristina disse...

AAAAH Volteeei *--* !!
Finalmente Voolteei ' Antes tava meeio fantasma Sabe e nem dava pra Comeentar , Maas agora daaah u-u e vooou ser chatta coomo antes ¬¬'

Caio Bigliazzi disse...

haha Ebaaa Nayara de volta, saudades de seus comentários. Haha pode ser "Chataa" a vontade! vou adorar ler seus comentários!