quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Capitulo 68 – Te quero




Capitulo 68 – Te quero

...
Depois disso fiquei escrevendo meu livro, e o tema da vez era saudade, e quando já estava acabando, o celular começa a tocar:
-Alô! – falei ao anteder.
-Aqui é a secretária do Helin. Com quem eu falo?
-Aqui é o Felipe Shillans
-Ah sim Felipe, o Helin queria marcar um ensaio fotográfico com você.
-Sim.
-Pode ser amanha?
-Claro.
-Tudo bem, então em breve, vamos enviar um e-mail mais detalhado.
-Tudo bem, obrigado.
-Obrigada ao senhor, tenha uma boa tarde.
-Igualmente.
Desliguei o celular e logo desliguei o notebook, e então joguei Xbox até começar anoitecer, tomei um banho e me arrumei,  e sai para mais uma noite de diversão.
...
...
As ruas eram brilhantes como na noite passada, mas dessa vez não quis nenhum tipo de barzinho, então fui andando pelas ruas, com um fone na orelha só olhando ao redor, em busca de algo interessante a se fazer.
Junto à mim, estava a câmera, que assim que via algo interessante ia registrando, quando vi a roda gigante, o grande cartão postal do pais, não pensei duas vezes e fui me divertir.
Assim que ela alcançou ao topo tive o privilégio de ver a cidade, toda iluminada a baixo.
Saindo da roda gigante, continuei a andar pelas ruas, e só parei em uma lanchonete 24 horas para pegar um refrigerante e voltar pelo tour, as ruas eram parecidas mas cada lugar tinha uma nova coisa para se observar.
Continuei andando, até dar meia noite, quando achei uma praça, onde parei para ouvir musica e observar o ambiente. Depois chamei um taxi e voltei ao hotel; cansado tomei um banho e fui direto pra cama.
Na manha seguinte acordei, com o despertador, então liguei o notebook para ver se a Aline havia respondido meu e-mail, mas não, não havia nenhuma resposta. Mas havia as informações do ensaio fotográfico que seria as 5 horas da tarde.
Nessa manha decidi me arrumar e ir tomar o café da manha em uma cafeteria qualquer, quando sai, ainda estava um pouco escuro, era cedo e o dia amanhecerá dublado.
Antes de ir em qualquer cafeteria, dei uma volta pra ver uma que me chama-se a atenção, e logo achei uma onde entrei, e pedi um café simples e waffle.
Quando sai da cafeteria fui dar voltas por Londres, até que as 10h meu celular da revista começou a tocar.
-Alô.
-Alô, Felipe?
-Sim!
-Você está disponível, daqui 2horas?
-Sim, porque?
-Precisamos de você na redação, para promover uma seletiva.
-Seletiva?
-Depois te explico melhor, mas por favor venha daqui 2 horas para cá.
-Pode deixar Helin.
-Até mais.
-Até.
Eu estava um pouco longe do hotel, e eu tinha que correr para chegar a tempo, chamei um taxi e fui para o hotel, tomei um banho rápido e coloquei uma roupa que era um pouco mais descolada, e fui para a redação.
Ao me encontrar com Helin, ele começou a me explicar o motivo da correria:
-Neste mês a nossa revista, está selecionando diversos garotos de todo o canto do mundo, e essa seletiva será para escolher o que se encaixa mais com a revista e com o nosso perfil, e oque mais agradar os olhares dos diretores e coordenadores desta edição, será o principal e será o principal na capa da revista. Então por isso precisávamos de você aqui.
-Mas eu não vim preparado. – falei assustado.
-Não importa, você é um candidato forte, seja confiante. – disse ele me deixando em uma sala, com os outros concorrentes.
Comigo eram 15 garotos, cada um de um pais, todos tinham algo a ver com revistas, mas nenhum deles foi um colunista, como eu. Eu e os garotos fomos postos a vários testes, e perguntas, todas coletivas. Não foi algo muito demorado, mas foi algo cansativo. Os selecionadores não deram nenhuma resposta na hora, mas seriamos avisados em alguns dias.
Dali eu fui direto para o ensaio fotográfico, que demorou um bom tempo para acabar.
...
Os dias foram passando, eu fui o terceiro colocado na seletiva, então participei do comercial da edição da revista, fiz vários textos para a revista selecionar o melhor para ser publicado na edição.
Durante todo o trabalho, eu saia por Londres, e um dia que estava um pouco desocupado, resolvi fazer umas compras, pra mim, Aline, Arthur e Luke. Comprei vários presentes para todos.
E sempre que chegava no hotel, mandava e-mails para a Aline, mas nem sempre eles chegavam até ela, e poucos e-mails eu recebi dela, pois poucos chegavam também.
Eu sentia falta de casa quase todo o momento e era difícil ignorar isso, sentia falta do abraço dela, das nossas risadas e de tudo que fazíamos juntos; Sentia falta do Luke o cachorro que alegrava a casa sempre; E do Arthur de sentir ele se mexer todas as noites quando abraçava a Aline.
E várias vezes ia no twitter e deixava um simples recado:
“É difícil te querer tanto e não poder de ter.”
...
Mais dias se passaram, fiquei vários dias a mais em Londres, algo que não estava programado, mas finalmente estava arrumando as malas para voltar pra casa e rever os amores da minha vida.
...
...
Capitulo 69 – Te tenho
Era tão bom poder senti-la novamente nos meus braços...
...
Continua...


Nenhum comentário :