quarta-feira, 25 de julho de 2012

Capitulo 57 – Areia.



Capitulo 57 – Areia.

Nossos lábios se encontraram, meu coração acelerou e meu corpo foi tomado por uma ligeira dose de adrenalina, minha mente estava inerte e entregue ao momento, sentia os leves movimentos delicados de sua boca, uma leve mordida no meu lábio surgiu. Mais adrenalina tomou conta de mim, me fazendo enlouquecer a cada toque dela nos meus lábios e no meu corpo, me virei para poder agarra-la, meus braços a envolveram e eu afagava suas costas nuas, e ela simplesmente pegava em minha nuca e entrelaçava os dedos com os fios do meu cabelo, ao parar por falta de folego, dei um beijo em seu pescoço e puxei a respiração para sentir o cheiro dela, ficamos olhando um ao outro e nos beijamos mais e depois mais caricias surgiram. Soltei uma das mãos que afagavam suas costas, e entre beijos e caricias, puxei a sua coxa para cima e ela a encaixou no meu corpo, nos aproximando mais.
Verei nós dois pela cama e fiquei por sobre seu corpo, e com selinhos foi descendo até a sua barriga e depois retornei novamente para sua boca, e com cuidado soltei novamente o sutiã que ela avia colocado fazia algum tempo.
...
...
Deitamos na cama ofegantes, ela deitou-se e se apoiou sobre meu corpo fechou os olhos e sentia o meu cheio de leve com a respiração ofegante, eu a envolvia nos meus braços e acariciei seu cabelo, minha respiração estava acelerada, meu coração levemente disparado, e meu corpo levemente suado. Ficamos um tempo deitados e depois de relaxar um pouco quebrei o silêncio.
-Amor temos que ir na casa da Lucia e arrumar as malas, você vai tomar banho primeiro ?
-Não, pode ir depois eu vou! – disse quase cochilando.
Levantei da cama e fui para o banheiro, liguei o chuveiro e deixei a agua  morna escorrer pelo meu corpo, lavei o cabelo e logo sai, sequei um pouco do meu corpo, coloquei uma cueca limpa e depois fui para o quarto, e terminei de me secar.
Aline que estava deitada, se sentou e me olhou eu ajoelhei na cama e ela se levantou para me dar um beijo.
-Vai lá amor! Mas não demora se não vai ficar muito tarde para ir na casa da Lucia, e muito tarde para irmos para a praia!
-Pode deixar, não demoro!
Ela se levantou animada, e correu para o banheiro, mas antes me deu um selinho, eu terminei de secar meu cabelo e peguei uma calça jeans e a vesti, pequei os primeiros tênis que vi e os coloquei. Arrumei a cama, e peguei as malas de viajem, tirei minhas roupas e minhas coisas e coloquei dentro da mala, subi no meu sótão e peguei as coisas que precisaria para escrever o meu livro, e peguei 3 livros que estava na estante que ainda não havia lido.
Quando desci, Aline estava no quarto de lingerie, terminando de enxugar o corpo.
-Tudo isso é para tirar minha atenção?
-Uhum, quero que você olhe só para mim!
-Eu sempre olhei e sempre vou só olhar pra você! – disse a abraçando.
-E você?
-Eu oque?
-Não tem uma camiseta não? Fica ai se exibindo!
-Claro, também quero que você só me olhe.
-Hum num precisa fazer nada, eu sempre só vou olhar você.
-Vamos, coloque uma roupa e vamos para a Lucia, depois você arruma suas malas!
-Uhum!
Deitei na cama e fiquei olhando ela se arrumar, secou o cabelo com secador, pegou um vestido básico e colocou um cinto, pegou um salto não muito alto cor creme e combinava com o vestido verde. Colocou brincos, pulseiras e um colar dourados, passou um simples gloss nos lábios e um rímel do olho.
-Estou pronta!
Sorri para ela, me levantei e coloquei uma camiseta cinza com foto de Londres, e peguei meu óculos amarelo.
Saímos de casa e fomos para a casa da Lucia, que nos recebeu animada, e feliz por me ver, depois de tanto tempo, ela pediu para ficarmos para tomar um chá, então ficamos um tempo e enquanto comíamos, conversávamos sobre as novidades, ela falou sobre a revista e do namorado que ela estava saindo. E eu contei oque havia acontecido nas ultimas semanas e como foi o dia hoje, no hospital. Lucia estava toda animada em saber do Arthur, e depois de conversarmos muito ela entregou a chave do carro para mim.
-Prometo, que comprarei um carro pra mim! – disse.
-Não se preocupe! Pra vocês eu empresto, vocês precisam sair um pouco pra distrair!
-Obrigado mesmo Lucia!
-Foi nada, mas tome cuidado na estrada!
-Pode deixar!
Nos despedimos, eu e Aline entramos no carro, e fomos para casa, chegando lá Aline foi direto arrumar as malas e eu fui fazer, alguns lanches naturais para comer ante de ir e para ela se alimentar durante a viajem.
Depois dela arrumar as malas, peguei tudo e levei para o carro, coloquei as coisa do Luke e levei até o Dino com agente.
Comemos e fomes ver um pouco de desenho e quando já era umas 10 horas saímos de casa, Luke foi no banco de trás, e Aline ao meu lado. Depois de passarmos a cidade e chegarmos a estrada, abri a capota do carro, o vento batia nos refrescando, o cabelo de Aline dançava com o vento e Luke se divertia brincando com ele. Durante a viajem a Aline comeu alguns dos lanches que havia feito, e depois tirou a sandália e apoiou seus pês no painel do carro, e se reconfortou no banco aumentando o volume do rádio. Passei minha mão em seu rosto e ela sorriu para mim e depois fechou os olhos se desligando do mundo.
A noite estava linda, estrelada e com uma lua chamativa, e logo o cêu sumiu depois que entrei no meio da estrada onde havia um caminho cercados  de árvores, algumas folhas caiam sobre o carro, a brisa era leve e podia sentir já o cheiro da maresia, diminui a velocidade e depois de um tempo, chegamos na estrada escondida, que levava até a casa.
Assim que parei o carro Aline abriu os olhos e sorriu, Luke latiu com animação e saltou do carro assim que o soltei. A luz do farou projetava sobras no horizonte e Aline mais do que de pressa, tirou a sandália e afundou seus pês na areia e andou para o mar, o vento batia em seu rosto e ela sorria, a abracei pelas costas.
-Eu Te Amo. – disse no seu ouvido e depois beijei seu pescoço.
-Eu também Te Amo. – respondeu ela sorrindo e me dando um selinho.
Aline se virou e me beijou fazendo eu estremecer, com seus toques leves, deitamos na arei e se beijamos mais, ficamos sobre a luz da lua se divertindo como dois adolescentes tento o seu primeiro amor. Ela começou desabotoar minha camisa, mas eu a impedi.
-Que foi, você não quer? – perguntou ela confusa, nunca eu negava ela.
-Agora não! Vamos esvaziar o carro primeiro, já está tarde.
Aline deu sorriso torto, pois queria que fosse ali, mas eu dei um beijo nela e descarreguei o carro, enquanto ela abria a casa, ela abriu toda a casa, e eu coloquei as malas na sala e tranquei o carro.
Depois entrei e tranquei a porta da frente, e a peguei no colo a beijando, e a levei para o quarto.
-Agora sim, podemos! – deitei ela na cama e fiquei sobre seu corpo, logo começou a desabotoar a camisa. – Espera! – a detive de novo.
-Oque foi?
-Porque você está assim? – perguntei curioso.
-Assim como?
-Toda carinhosa, sei lá, você está carente é? –falei brincando.
-Eu só quero você um pouquinho!
-É você está carente. – disse sorrindo.
-Então mata a minha carência.
-Uhum pode deixar.
Comecei a beijar seu pescoço e ela terminou de desabotoar minha camisa e eu a tirei e a joguei no chão, tirei o vestido dela, e ela soltava o cinto da minha calça e a abria, mas antes que ela terminasse a peguei com força e lhe dei beijo forte, tirei os tênis com o pé e depois a calça jeans, e o mini shorts dela ...
...
...
Capitulo 58 – Seu olhar

A luz do por do sol era ele e criava um tom monocromático, e Aline olhava fixamente o balanço do mar...
Continua ...

Nenhum comentário :