segunda-feira, 23 de julho de 2012

Capitulo 53 - Mal-estar.




Capitulo 53 – Mal-estar.

-Bom vocês me ajudaram, quando eu mais precisei, e me deram muita força com a Mirela e por isso, quero que vocês sejam os padrinhos dela. – ela sorriu para nós e retribui o sorriso. – Vocês aceitam?
-Como assim? –falei.
-Você enlouqueceu? – falou a Aline.
-Estou certa disso! – disse ela sorrindo
-Mas é claro que sim! - Falei indo em direção dela.
...
...
Me aproximei dela e de Mirela, ao observar ela logo percebi que suas principais características eram herdadas de Danilo, como o cabelo escuro, o nariz fino e levemente arredondado, bochechas rosadas, e a orelha delicada. De Heloisa, Mirela havia herdado os olhos verdes clarinhos mesclados de azul, que só eram vistos por leves piscadas que ela dava, e a pele pálida.
Mas ainda era cedo para dizer com quem ela ia se parecer após o passar de alguns anos, fiquei a observando e depois segurei sua mãozinha gordinha e delicada, ela em reposta agarrou meu dedo, o esquentando com sua pele quente.
-Quer pegá-la? – perguntou Heloisa ao ver meus olhos curiosos sobre Mirela.
-Acho melhor não, posso derruba-la! – afirmei.
-Tenho certeza de que isso não irá acontecer –afirmou heloisa – é só encosta-la em seu peito e abraça-la apoiando o tronco e a cabeça.
-Falar é fácil! –disse enquanto ela me entregava Mirela.
E quando ela já estava em meus braços se reconfortou segurou minha camiseta branca que estava por debaixo da blusa, levemente aberta, e com sua outra mão afagava meu braço com pequenos apertozinhos.
-Você tem que se acostumar! – falou a Helo. – Logo, Logo, já terá o seu e terá que ajudar a Aline. – disse rindo para a Aline, que simplesmente sorriu tímido como reposta.
Aline estava do outro lado do quarto ao pé da cama, mantinha uma certa distância de Mirela e de Heloisa, mas eu entendia o porque, ela sabia que eu e Helo éramos muito amigos e muito próximos, e perto de nós dois ela se sentia uma intrusa.
Mas depois de ficar observando Mirela, sorri para ela e ela simplesmente me deu um olhar delicado e meigo, me aproximei dela, atravessando o quarto, e ficando em pé ao seu lado. Ela fez o mesmo que eu a observou e deu a mão para ela, mas Mirela não correspondeu e agarrou ainda mais minha blusa e não soltou sua mão de meu braço, pude perceber que Aline ficou um pouco magoada com a rejeição, mas logo voltou o sorriso e olhou para mim.
-Ela gostou de você! – disse ela olhando nos meus olhos. – E ela é linda Heloisa, parabéns! – falou ela sorrindo para Aline.
-Aham ela se puxou muito ao Danilo! – olhei rápido para a Helo surpreso com o comentário, antes eu não tinha falado , pensando que estaria magoada por isso, mas percebi que eu estava errado. – Que foi? – perguntou ela ao ver minha reação.
-Pensei eu não quisesse falar nisso! – respondi.
- Não posso mentir! É só olhar pra ela e ver que é idêntica a ele, e sou grata a ele por me dar esse presente!
Não pude negar que fiquei surpreso com Helo, parece que finalmente ela cresceu e parou de agir como agia, como uma adolescente mimada e egoísta.
Fiquei observando Mirela e logo me lembrei e perguntei:
-E ai Helo quando vamos registra-la?
-Você ainda não tirou isso da cabeça?
-Não!
-Tá você venceu! Acho que hoje a tarde!
Sorri e voltei os olhos para Mirela, que agora dormia.
Aline tombou para o lado e se segurou em mim para não cair.
-Aline? – perguntei. –Você está bem?
-Só me deu tontura.
Ela tombou de novo para o lado e se segurou firme em minha blusa tetando se manter de pé.
-Felipe? –perguntou ela com a voz fraca.
-Que foi?
-Não sei!
- Aline! – gritei ao ver ela tombar.
Ela não conseguiu agarrar minha blusa com mais força e caiu no chão batendo a cabeça na cadeira que estava perto de nós, Heloisa assustada pegou o telefone ao lado dela e chamou a enfermeira. Mirela despertou ao ver meu coração desparrar e meu corpo tremer, ela segurou mais forte minha blusa e ao invés de chorar ouse assustar, tentou me acalmar, algo que ajudou um pouco.
Heloisa estendeu os braços para que eu a entregasse de volta e cuida-se da Aline, tentei devolver Mirela, mas ela se agarrava em mim, com o máximo de força que tinha, mas Heloisa venceu e conseguiu pega-la e depois da agitação dela logo se reconfortou com os carinhos da mãe.
Disparei ao chão e envolvi Aline nos meus braços e lhe dei um beijo na testa, ao passar a mão em sua cabeça percebi que ela tinha um leve corte, mas nada de se assustar.
-Aline? – peguntei. – Consegue me ouvir?
Ela tentava responder mas não conseguiu por causa da fraqueza que a tomava, ela se agarrou em meu peito, e estava prestes a perder a consciência, seu corpo estava mole ela não conseguia manter os olhos abertos, mas tentava se agarrar em mim o máximo que podia.
Logo a enfermeira entrou no quarto e olhou para nós.
-Oque houve? –perguntou ela assustada.
-Não sei, mas ela está fraca, muito fraca.
-Vou ver se há algum medico disponível! – falou ela.
-Chame pelo medico dela, ele trabalha aqui!
-Qual é o nome dele? –disse a enfermeira tentando manter a calma.
-Dr. Gabriel Resley
-Me acompanhe por favor! – ela olhou para mim e ficou me observando e ficou vislumbrada com o cuidado e carinho que cuidava de Aline, eu a peguei no colo com o máximo de cuidado apoiei a cabeça dela ao meu peito e deu um beijo em sua testa, a enfermeira demorou até voltar ao normal depois de me ver com a Aline.  – Desculpe Sr. ? – começou ela atrapalhada.
-Felipe, nada de senhor por favor! – disse sorrindo.
-Desculpe Felipe, por ser tão descuidada, não quer uma cadeira de rodas ou algo para leva-la?
-Não, obrigado, ela ficará mais protegida comigo mesmo!
-Tudo bem, me siga então! – disse ela sorrindo.
Mandei um beijou para a Heloisa e ela piscou de volta, então sai do quarto e segui a tal enfermeira que cujo o nome escrito no crachá era Lurdes Hilton.
...
Capitulo 54 – Arthur
-Nossa que belo susto vocês me deram! – disse o Dr. Gabriel, me observando.
-Nem me diga!

Continua ... 

Nenhum comentário :