segunda-feira, 23 de julho de 2012

Capitulo 52 – Padrinhos




Capitulo 52 – Padrinhos

Sorri pra ela e continuei:
-Impossível! Mas, por favor vamos?
-Porque?
-Por que você eu só quero você!
Ela sorriu para mim, e logo me beijou, eu a peguei no colo e subi as escadas, a ditei na cama.
Como sempre comecei com meus delicados selinhos e mordidas!
E assim foi indo, até ...
...
...
- Tá vendo, não foi divertido? – falei.
-Hum. E agora a criancinha está feliz?
-Com certeza! – afirmei com um sorriso malicioso.
Peguei na mão dela e comecei a brincar com seus dedos, os mexia com movimentos bem diversos e observava os dedos delicados, ela observava com um sorriso no rosto, fiquei pensativo e depois de um tempo a abracei novamente e reconfortei a  minha cabeça no peito dela, e gentilmente ela começou a acariciar os fios do meu cabelo.
De repente o dinossauro de pelúcia verde que estava no canto da parede me chama a atenção, e então comecei a pensar, no nosso filhinho e então comentei com a Aline:
-Você acha que eu vou conseguir?
-Conseguir oque Fe?
-Ser um bom pai, saber ser cuidadoso, protetor, saber lidar com certas situações, ...
-Que pergunta besta! – comentou ela.
-Por que? – perguntei desanimado por causa da resposta.
-É claro que você vai ser um bom pai!
-Como pode ter tanta certeza?
-Eu conheço você muito bem e sei o quão incrível você é!
-Tá se a mamãe diz! – disse sorrindo.
-Hum bom mesmo o papai obedece! – brincou ela
-Olha, como você fala ... – fiquei sentado na cama. – O papai pode te dar uma punição!
-Tipo oque? – enfrentou ela sorrindo.
-Isso...
Comecei a fazer cocegas no corpo dela, e ela gargalhava, e sorria. Depois resolvi abraça-la e lhe dar um beijo caloroso, a envolvi nos meus braços e mordi seu lábio inferior e depois lhe dei um beijo molhado e delicado, enquanto caricias eram feitas:
-Oque você acha, da gente se divertir mais um pouco? – sugeri.
-Nossa mas que criancinha mais animada, não cansou não?
- Ninguém manda deixar a criancinha com saudade! E não, eu não estou cansado, ainda tenho muita energia. – dei um sorriso malicioso para ela.
Em resposta ela me puxou para mais perto e me deu um beijo com mordidas leves nos meus lábios, enquanto eu acariciava suas pernas e a pegava com firmeza... E para nossa infelicidade o telefone começou a tocar, e paramos esperando o segundo toque, que não demorou a tocar.
-É parece que a criança vai ter que esperar!
Fiz um biquinho e depois sorri para ela, então me estiquei até alcançar o telefone que ficava perto da cama, e então atendi:
-Alô! – falei sem animo.
-Alô, Felipe? – falou uma mulher do outro lado da linha toda animada.
-Sou eu, quem é?
-Oi, Felipe é a Sandra, mãe da Heloisa!
-Oi Sandra, não reconheci a voz, e então aconteceu alguma coisa?
-Sim! – afirmou ela com animo.
-Oque? - perguntei preocupado.
-A Mirela nasceu!
-Nossa! – me animei com a novidade. – Sério?
-Aham faz algumas horas, e a Heloisa chamou vocês, para vir vela! Ela tem uma surpresa pra vocês...
-Que hospital que vocês estão, o daqui perto do parque?
-Isso!
-Estou indo! – desliguei o telefone com um sorriso no rosto.
-Oque foi? –perguntou a Aline feliz também.
-A filha da Heloisa nasceu! – falei sorrindo. – Vem, vamos nos arrumar ela chamou por nós.
- Daqui uns 6 ou 7 messes, somos nós! – falou a Aline sorrindo para mim.
-Verdade! – afirmei acariciando a barriga dela. – Meus bebes! –falei dando um beijo nela e acariciando sua barriga.
-Vamos! – disse a Aline, para eu sair dos pensamentos.
Levantamos e se trocamos rapidamente, e fomos correndo  pela rua, até a travessarmos o parque e chegar o hospital, chegamos ofegantes, mas mesmo assim, ainda estávamos animados, a recepcionista olhou para nós com a expressão curiosa e logo se animou ao ver  nossos sorrisos.
-Viemos ver a Heloisa! – falei para recepcionista
Mas logo Sandra surgiu e nem foi preciso dar trabalho para a recepcionista, Ela nos levou para o quarto da Hello. E lá estava ela com Mirela no colo.
-Olha só quem virou mamãe! – falei com um tom de deboche.
-Ai Felipe, ainda bem que você veio, tenho uma coisa para lhes dar!
-Oque? – perguntei curioso.
-Bom vocês me ajudaram, quando eu mais precisei, e me deram muita força com a Mirela e por isso, quero que vocês sejam os padrinhos dela. – ela sorriu para nós e retribui o sorriso. – Vocês aceitam?
-Como assim? –falei.
-Você enlouqueceu? – falou a Aline.
-Estou certa disso! – disse ela sorrindo
-Mas é claro que sim! - Falei indo em direção dela.
...
Capitulo 53 – Mal estar
-Que foi?
-Não sei!
- Aline! – gritei ao ver ela tombar.

Continua...

Nenhum comentário :