segunda-feira, 30 de julho de 2012

Capitulo 61 – Será que sim?



Capitulo 61 – Será que sim?

Desliguei o telefone, e fiquei pensativo, Aline acariciava meus fios de cabelo ondulados, e eu fitava o chão pensando se deveria aceitar.
-Oque ela queria amor? – perguntou Aline.
-Que eu participasse de um editoria de moda.
-Ué vai, num tem problema.
-É em Londres! – falei irritado.
-E oque tem? Você pode ir, num tem problema!
-Mas eu num quero ficar longe de você e do Arthur!
-É só uns dias Lipe, relaxa, você pode ir. Afinal é seu trabalho.
-Não sei.
Me levantei do sofá e fui para fora, sentei em um dos sofás da salinha e fiquei olhando o mar, pensativo.
...
...
Aline saiu da casa e veio falar comigo, sentou do meu lado, e abraçou e me deu um beijo no testa:
-Amor, se acalma um pouco!
-Uhum!
-Por que você não quer ir?
-Eu não quero ficar longe de você e do Arthur.
-Porque? Vai ficar tudo bem!
-Se você pudesse ir junto!
-Não, ai num dá, não posso focar muito longe do medico.
-Eu sei.
-Olha decide isso depois, vou fazer um chá para nós!
-Tá bom!
Ela me deu um selinho, e voltou para casa e eu fiquei olhando o céu, que estava lindo e aconchegante, e nos prendia a atenção. Quando Aline voltou, eu estava tão distraído que nem percebi ela chegando, ela estendeu a xicara pra mim e a peguei.
Deixei a xicara esquentar meus dedos e a palma da mão, e depois que ele deu uma esfriada tomei, Aline já estava quase acabando, e quando por fim acabou, ela começou a me fazer cafuné e me abraçou.
 A Lua era brilhante e a brisa leve, olhava as estrelas e sentia as mãos delicadas nos meus fios de cabelo, o chá já estava quase no fim, o sono estava chegando e meus olhos já não conseguiam ficar muito tempo abertos.
-Amor, vamos dormir? Me deu sono! – falou a Aline.
-Vamos, também estou cansado.
Entramos e trancamos a porta, eu e ela fomos para o quarto, deitamos e ficamos abraçados nos olhando, e logo peguei no sono.
...
...
Na manha seguinte, quando acordei, Aline ainda dormia, eu fiquei a observando por um tempo e depois, acariciei  seu rosto e fui para a cozinha fazer o café da manha.
Preparei os lanchinhos dela, e fiz um suco, e quando estava terminando o café ela aparece na cozinha me abraçando por trás.
-Bom dia amor – falei.
-Bom dia seu lindinho.
Sorrimos um para o outro e nos beijamos:
-Fez o café da manha para mim? – perguntou ela.
-Uhum, estou cuidando da sua alimentação agora. – falei num tom brincalhão.
Coloquei tudo sobre a mesa e sentamos para comer, e enquanto comíamos conversamos um pouco, até chegar no assunto da viajem:
-E então você decidiu? – perguntou a Aline.
-Ainda não sei.
-Vai ser ótimo pra você, para sua carreira ...
-Eu sei...
-E então? Vai?
Ficamos em silêncio por um tempo e logo quebrei o silêncio:
-É... Aline hoje nos temos que voltar!
-Por que?
-Eu tenho que resolver esse negócio da viajem.
-Você vai? – perguntou ele animada.
-Acho que sim! – afirmei sorrido, por causa da Animação dela.
...
...
Capitulo 62 – Amiguinho
Olhei aquela figura baixa perto da árvore e logo reconheci...
Continua...
Continue Lendo ►

Continue votando!


Agora falta pouco, para defender sua Web-Série, continue votando nos últimos dias!


Continue Lendo ►

Capitulo 60- Convite



Capitulo 60- Convite

Saímos do mar, mas antes de entrarmos brincamos de pega-pega, e até o Luke entrou na brincadeira, do nada a Aline para e da um leve gemido, preocupado corri o mais rápido que pude e me aproximei dela.
-Oque foi ? Aconteceu alguma coisa? – Perguntei.
-Uhum. –falou ela sorrindo.
-Oque? –fiquei curioso.
-O Arthur está chutando!
Coloquei a mão em cima da barriga dela e senti as leves batidas, eu e ela sorrimos um para o outro e nos beijamos, e o Arthur se mexeu um pouco mais.
-Parece que ele está feliz e muito animado. – falei me ganhando. – Papai te ama! – falei beijando a barriga dela.
...
...
Demos as mãos, e voltamos para a casa, ela ainda estava uma zona, por causa da nossa guerrinha, chegamos e almoçamos, e tivemos que limpar toda a bagunça, eu e ela ajeitamos tudo e depois, tomamos um banho e sentamos no sofá para ver desenho.
O celular tocou e me surpreendi com quem estava ligando, era a Carol, da redação, Aline olhou para mim e curiosa perguntou.
-Quem é?
-A Carol, da redação!
-Atende logo, está esperando oque?
Atendi o celular:
-Alô, Carol?
-Oi Felipe, ainda bem que você atendeu, preciso de você!
-Precisa de mim?
-É, tenho uma proposta para lhe fazer.
-Hum, diga.
-Na verdade é um convite!
-Fala Carol, estou curioso.
-A revista fez uma parceria com uma revista Europeia, e essa revista quer fazer um editorial de moda com modelos brasileiros e pediu para nós, alguns dos nossos modelos.
-E você quer que eu seja um dos modelos desse editorial?
-Eu não, eles querem! Eles tem uma preferencia por você, pois além de ser bonito é um ótimo escritor, e parece que eles pretendem fazer uma entrevista com você!
-Nossa...
-E então aceita?
-Onde será feito o editorial?
-Em Londres.
-Quando?
-Na semana que vem!
-Tenho que dar a resposta quando?
-Daqui dois dias!
-Tá, vou ver aqui, ai eu te ligo.
-Uhum, espero sua ligação, beijos lindo!
-Beijos Carol.
Desliguei o telefone, e fiquei pensativo, Aline acariciava meus fios de cabelo ondulados, e eu fitava o chão pensando se deveria aceitar.
-Oque ela queria amor? – perguntou Aline.
-Que eu participasse de um editoria de moda.
-Ué vai, num tem problema.
-É em Londres! – falei irritado.
-E oque tem? Você pode ir, num tem problema!
-Mas eu num quero ficar longe de você e do Arthur!
-É só uns dias Lipe, relaxa, você pode ir. Afinal é seu trabalho.
-Não sei.
Me levantei do sofá e fui para fora, sentei em um dos sofás da salinha e fiquei olhando o mar, pensativo.
...
...
Capitulo 61 – Será que sim?
A Lua era brilhante e a brisa leve, olhava as estrelas e sentia as mãos delicadas nos meus fios de cabelo...
Continua...
Continue Lendo ►

sábado, 28 de julho de 2012

30.000


Gente conseguimos em menos de um mês alcançar mais 1.000 visualizações, mas devo tudo a vocês!
Obrigado!!!

Beijos e Abraços, Até mais tarde!

Continue Lendo ►

Capitulo 59 – Dino



Capitulo 59 – Dino

Eu tinha um leve desejo, o desejo de tela, segurei a nuca dela e lhe dei um beijo, fazendo com que ela se surpreendesse com a minha reação repentina, ela olhou nos meus olhos e reparou oque eu queria.
Ela correspondia a cada movimento meu e me acariciava com aquela mão suave, sua mão passava do tórax para a barriga e a outra entrelaçava os dedos em meus fios de cabelo, eu a pegava pelas pernas e e agarrava sua cintura, fazendo ela se aproximar de mim.
Aline tirou minha camiseta e desabotoou meu shorts jeans, eu tirei a sua camiseta e comecei a lhe dar vários selinhos pelo seu corpo todo, ela sorria e me agarrava com força e enquanto o por do sol caia, nos dois nos amávamos.
Ela tirou  meu shorts e eu tirei o  dela, ela começou a tirar a minha cueca mas antes, decidi brincar um pouco com o corpo dela  com caricias e beijos ...
...
...
No dia seguinte, acordei com o barulho das ondas, o sol iluminava o quarto e projetava aquele efeito amarelado, olhei para a Aline que estava sorrindo e abraçada comigo. Tentei me soltar dela sem acorda-la, mas não deu muito certo!
-Amor? – perguntou ela sonolenta.
-Bom dia linda! – respondi.
-Bom dia seu coisa!
-Nossa, coisa?!  Valeu, deixa você!
Ela começou a rir e me puxou me fazendo deitar novamente, e me beijou:
-Bobo. –disse ela.
-É eu sei! – confirmei sorrindo e preso nos olhos dela.
Me levantei novamente e sai da cama.
-Ei fica um pouquinho aqui comigo? – pediu ela.
-Tá. – responde. –Mas espera.
Caminhei até o dinossauro enorme de pelúcia no canto do quarto, e o peguei e levei ele pra cama.
-Felipe, pra que você trouxe o Dino? – perguntou ela.
-Pra gente brincar. – falei animado deitando na cama.
-Mas eu num quero brincar! – respondeu ela fazendo bico.
-Ah quer sim!
-Quero não!!
-Vai, só um pouquinho?
-Não!!
-Você vai deixar o Dino triste!
-Problema dele! – respondeu ela enfiando a cara no travesseiro.
-Bua bua bua bua. – imitei um choro e mexi o bicho verde enorme uqe estava nas minhas mãos. – Hora da vingança!
Peguei os braços dele e comecei cutuca-la e fazer cocegas nela, que logo respondeu com um sorriso no rosto e risos, larguei o Dino e fiquei sobre o corpo dela, e continuei com as cocegas.
-Para Felipe, seu chato! – pedia ela em meio as risadas.
-Não! – respondi sorrindo. – Estou vingando o Dino, que foi desprezado! Tadinho
Continuei por mais um tempo, e logo parei, o corpo dela estava mole de tanto rir.
-Eu Te Amo! – falei olhando nos seus olhos.
Ela estava cansada demais para responder e ainda recuperava o folego e depois de respirar um pouco, me puxou pela nuca e me deu um beijo.
Seus dedos entrelaçaram com os meus fios de cabelo e com a outra mão me acariciava, entrei no jogo e me aproximei dela, acariciando seu corpo.
-Hum, sua pervertida! – falei olhando o sorriso malicioso dela.
-Eu sei que você gosta!
-É você sabe, que gosto né.
-Uhum.
Nos beijamos mais um pouco e trocamos mais caricias.
-Dino é melhor você não ver isso! – falei empurrando o bicho da cama.
...
...
Depois da nossa leve diversão, levantamos e fomos tomar café da manha, que já era quase um almoço, fiz lanchinhos naturais novamente para a Aline e ela preparou o café para mim.
Peguei o livro que estava lendo ontem e comecei a lê-lo enquanto tomava o meu café, a Aline me chutava por de baixo da mesa querendo minha atenção, que logo conseguiu.
-Pronto, sua coisa. – disse. – Eu paro de ler.
-Ebaa!
Luke se divertia no chão rolando e brincando com algo que havia encontrado, ultimamente ele estava se divertindo tanto, que nem nos dava muita atenção!
Depois de terminarmos o café, juntos arrumamos a meça e lavamos a louça, ou melhor fizemos guerra de água e sabão, deixando a cozinha toda molhada, oque fez a alegria de Luke que patinava  sobre a água, depois de terminarmos a zona decidi levar a Aline tomar um banho, para tirar o sabão do corpo. Peguei ela no colo e a levei para o chuveiro com roupa e tudo, fomos tirando a roupa aos poucos e nos beijávamos em meio a mais uma guerrinha de sabão, até que depois de um tempo decidimos parar e tomamos banho juntos. Com muito beijo e carinhos.
Ao sair do banho, a Aline quis sair da casa e ir lá fora, colocou um biquíni e eu uma sunga e uma bermuda, passei protetor solar nela e ela em mim, e depois fomos juntos para a água.
A tarde estava perfeita, e o sorriso da Aline brilhava para mim sob a luz radiante do sol, ela se jogava para debaixo da água cristalina e eu a acompanhava e de vez em quando dávamos selinhos em baixo da água, o mar estava calmo, então dava para fazer nossas brincadeiras tranquilo, sem nenhum risco.
Depois de um bom tempo na água, eu a abracei e a beijei com vontade.
-Amor acho melhor voltarmos um pouco, você já ficou muito tempo no sol!
-Uhum, anjinho protetor! – disse ela sorrindo.
-Vamos comer alguma coisa e depois voltamos, quando o sol der uma trégua.
Saímos do mar, mas antes de entrarmos brincamos de pega-pega, e até o Luke entrou na brincadeira, do nada a Aline para e da um leve gemido, preocupado corri o mais rápido que pude e me aproximei dela.
-Oque foi ? Aconteceu alguma coisa? – Perguntei.
-Uhum. –falou ela sorrindo.
-Oque? –fiquei curioso.
-O Arthur está chutando!
Coloquei a mão em cima da barriga dela e senti as leves batidas, eu e ela sorrimos um para o outro e nos beijamos, e o Arthur se mexeu um pouco mais.
-Parece que ele está feliz e muito animado. – falei me aganhando. – Papai te ama! – falei beijando a barriga dela.
...
...
Capitulo 60- Convite
O celular tocou e me surpreendi com quem estava ligando...
Continue Lendo ►

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Capitulo 58 – Seu olhar



Capitulo 58 – Seu olhar

Depois entrei e tranquei a porta da frente, e a peguei no colo a beijando, e a levei para o quarto.
-Agora sim, podemos! – deitei ela na cama e fiquei sobre seu corpo, logo começou a desabotoar a camisa. – Espera! – a detive de novo.
-Oque foi?
-Porque você está assim? – perguntei curioso.
-Assim como?
-Toda carinhosa, sei lá, você está carente é? –falei brincando.
-Eu só quero você um pouquinho!
-É você está carente. – disse sorrindo.
-Então mata a minha carência.
-Uhum pode deixar.
Comecei a beijar seu pescoço e ela terminou de desabotoar minha camisa e eu a tirei e a joguei no chão, tirei o vestido dela, e ela soltava o cinto da minha calça e a abria, mas antes que ela terminasse a peguei com força e lhe dei beijo forte, tirei os tênis com o pé e depois a calça jeans, e o mini shorts dela ...
...
...
Ao acordar, nós estávamos agarrados, um no outro, ela ainda dormia, apoiada em meu peito fiquei olhando seu rosto por um tempo, e depois me soltei de seu abraço e fui tomar um banho.
A manha estava agradável, o luz do sol cortava as cortinas e iluminava o quarto, deixando tudo em um tom amarelado, caminhei até o banheiro e liguei o chuveiro e deixei a agua deslizar pelo meu corpo, até chegar ao meus pés, logo sai, enrolei a toalha no corpo e fui na sala pegar na mala minhas roupas, coloquei um shorts jeans e uma camiseta listrada.
Luke ao me ver deu um latido, mas falei pra ele fazer silêncio para não acordar a Aline, logo me obedeceu e veio ao meu lado pedindo carinho, que ofereci a ele com o maior prazer.
Depois, ainda sonolento, segui para a cozinha e fui preparar o café da manha, fiz algo o mais saudável possível, fiz um cafezinho só para mim e um pão na chapa, e para a Aline preparei um suco de manga, coloquei algumas frutas na mesa e um lanche de atum.
Peguei meu café e sentei no sofá, e fui ver desenho, enquanto esperava a Aline acordar. Fiquei um bom tempo esperando a Aline, mas ela não vinha, então decidi ir vela, só para verificar se estava tudo bem, ao entrar no quarto vejo ela ainda deitada feito um anjo, me aproximei e ouvi sua respiração leve, acariciei sues cabelos e dei um beijo em sua testa. Deixei ela dormindo e sai do quarto.
Fui até a mala que ainda estava na sala e peguei um dos 3 livros que havia levado, peguei o primeiro que vi “Um Momento Inesquecível” de Nicholas Sparks, abri a porta de casa e sai o sol bateu em meu rosto, me impedindo de abrir os olhos, coloquei os olhos, e fui para a areia, procurei algum ligar com sombra e sentei.
Abri o livro e comecei a ler.
Horas se passaram e eu ainda a ler o livro a minha frente, e quando eu já estava na metade do livro, sinto um abraço delicado e gostoso me tirar a atenção, marquei a página do livro e soltei na areia da praia.
Aline me seu um selinho.
-Bom dia amor! –disse feliz em veja.
-Bom dia!
-Você está bem?  - perguntei enquanto ela sentava e eu a abraçava.
-Estou sim, porque?
-Fiquei preocupado, você demorou muito para acordar.
-Eu estava cansada, ontem eu não descansei lembra?  
-Uhum.
Ela deitou em mim e esticou a pernas.
-Comeu o café da manha que eu preparei para você?
-Uhum, tava uma delicia!
Eu e ela ficamos ali parados vendo o movimento do mar, os barulho do mar e sentindo a brisa no rosto, até que quebrei o silêncio.
-Amor é o nosso casamento?
-Oque tem?
-Agente tem que marcar a data!
-Eu queria que fosse antes do Arthur nascer, pode ser ?
-Pode sim amor, mas quando?
-Que tal daqui dois meses?
-Em Junho?
-É, pode ser?
-Claro que pode, o importante é eu estar ao seu lado sempre!
-Fofo. Então assim que voltarmos agente vê tudo direitinho. Tá bom?
-Uhum, deixa esse assunto pra depois, vamos aproveitar nosso tempo juntos.
Peguei o livro, do chão e levantamos e voltamos de mãos dadas para a casa.
-Amor acho melhor hoje você dar uma descansada, ontem foi um dia muito agitado pra você! Tá bom?
-Uhum, também quero descansar.
Naquele dia ficamos o dia todo dentro de casa vendo filmes, desenhos, conversando, dando uns beijos e abraços, como sempre. E só quando o por do sol estava se pondo saímos.
Fomos até a frente da “salinha” eu era feita na areia, e sentamos no chão, e ficamos observando o sol.
A luz do por do sol era leve e criava um tom monocromático, e Aline olhava fixamente o balanço do mar, inerte em sues pensamentos, seus olhos castanhos avistava cada mínimo detalhe do momento, os olhos dela me hipnotizou, fiquei preso eles e assim que cai em mim.
Eu tenha um leve desejo, o desejo de tela, segurei a nuca dela e lhe dei um beijo, fazendo com que ela se surpreendesse com a minha reação repentina, ela olhou nos meus olhos e reparou oque eu queria.
Ela correspondia a cada movimento meu e me acariciava com aquela mão suave, sua mão passava do tórax para a barriga e a outra entrelaçava os dedos em meus fios de cabelo, eu a pegava pelas pernas e e agarrava sua cintura, fazendo ela se aproximar de mim.
Aline tirou minha camiseta e desabotoou meu shorts jeans, eu tirei a sua camiseta e comecei a lhe dar vários selinhos pelo seu corpo todo, ela sorria e me agarrava com força e enquanto o por do sol caia, nos dos nos amávamos.
Ela tirou  meu shorts e eu tirei o  dela, ela começou a tirar a minha cueca mas antes, decidi brincar um pouco com o corpo dela  com cariciar e beijos ...
...
...
Capitulo 59 – Dino
A tarde estava perfeita, e o sorriso da Aline brilhava para mim...
Continua...
Continue Lendo ►

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Reprogramação


Gente como hoje eu não consegui publicar os capítulos 58 e 59, então fiz uma reprogramação:


  • Capitulo 58 ás 11:30
  • Capitulo 59 ás 16:00
  • Capitulo 60 ás 20:00
  • Capitulo 61 ás 23:30
Desculpa, gente por não ter postado os capítulos!


Beijos e Abraços, Até amanha!


Continue Lendo ►

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Capitulo 57 – Areia.



Capitulo 57 – Areia.

Nossos lábios se encontraram, meu coração acelerou e meu corpo foi tomado por uma ligeira dose de adrenalina, minha mente estava inerte e entregue ao momento, sentia os leves movimentos delicados de sua boca, uma leve mordida no meu lábio surgiu. Mais adrenalina tomou conta de mim, me fazendo enlouquecer a cada toque dela nos meus lábios e no meu corpo, me virei para poder agarra-la, meus braços a envolveram e eu afagava suas costas nuas, e ela simplesmente pegava em minha nuca e entrelaçava os dedos com os fios do meu cabelo, ao parar por falta de folego, dei um beijo em seu pescoço e puxei a respiração para sentir o cheiro dela, ficamos olhando um ao outro e nos beijamos mais e depois mais caricias surgiram. Soltei uma das mãos que afagavam suas costas, e entre beijos e caricias, puxei a sua coxa para cima e ela a encaixou no meu corpo, nos aproximando mais.
Verei nós dois pela cama e fiquei por sobre seu corpo, e com selinhos foi descendo até a sua barriga e depois retornei novamente para sua boca, e com cuidado soltei novamente o sutiã que ela avia colocado fazia algum tempo.
...
...
Deitamos na cama ofegantes, ela deitou-se e se apoiou sobre meu corpo fechou os olhos e sentia o meu cheio de leve com a respiração ofegante, eu a envolvia nos meus braços e acariciei seu cabelo, minha respiração estava acelerada, meu coração levemente disparado, e meu corpo levemente suado. Ficamos um tempo deitados e depois de relaxar um pouco quebrei o silêncio.
-Amor temos que ir na casa da Lucia e arrumar as malas, você vai tomar banho primeiro ?
-Não, pode ir depois eu vou! – disse quase cochilando.
Levantei da cama e fui para o banheiro, liguei o chuveiro e deixei a agua  morna escorrer pelo meu corpo, lavei o cabelo e logo sai, sequei um pouco do meu corpo, coloquei uma cueca limpa e depois fui para o quarto, e terminei de me secar.
Aline que estava deitada, se sentou e me olhou eu ajoelhei na cama e ela se levantou para me dar um beijo.
-Vai lá amor! Mas não demora se não vai ficar muito tarde para ir na casa da Lucia, e muito tarde para irmos para a praia!
-Pode deixar, não demoro!
Ela se levantou animada, e correu para o banheiro, mas antes me deu um selinho, eu terminei de secar meu cabelo e peguei uma calça jeans e a vesti, pequei os primeiros tênis que vi e os coloquei. Arrumei a cama, e peguei as malas de viajem, tirei minhas roupas e minhas coisas e coloquei dentro da mala, subi no meu sótão e peguei as coisas que precisaria para escrever o meu livro, e peguei 3 livros que estava na estante que ainda não havia lido.
Quando desci, Aline estava no quarto de lingerie, terminando de enxugar o corpo.
-Tudo isso é para tirar minha atenção?
-Uhum, quero que você olhe só para mim!
-Eu sempre olhei e sempre vou só olhar pra você! – disse a abraçando.
-E você?
-Eu oque?
-Não tem uma camiseta não? Fica ai se exibindo!
-Claro, também quero que você só me olhe.
-Hum num precisa fazer nada, eu sempre só vou olhar você.
-Vamos, coloque uma roupa e vamos para a Lucia, depois você arruma suas malas!
-Uhum!
Deitei na cama e fiquei olhando ela se arrumar, secou o cabelo com secador, pegou um vestido básico e colocou um cinto, pegou um salto não muito alto cor creme e combinava com o vestido verde. Colocou brincos, pulseiras e um colar dourados, passou um simples gloss nos lábios e um rímel do olho.
-Estou pronta!
Sorri para ela, me levantei e coloquei uma camiseta cinza com foto de Londres, e peguei meu óculos amarelo.
Saímos de casa e fomos para a casa da Lucia, que nos recebeu animada, e feliz por me ver, depois de tanto tempo, ela pediu para ficarmos para tomar um chá, então ficamos um tempo e enquanto comíamos, conversávamos sobre as novidades, ela falou sobre a revista e do namorado que ela estava saindo. E eu contei oque havia acontecido nas ultimas semanas e como foi o dia hoje, no hospital. Lucia estava toda animada em saber do Arthur, e depois de conversarmos muito ela entregou a chave do carro para mim.
-Prometo, que comprarei um carro pra mim! – disse.
-Não se preocupe! Pra vocês eu empresto, vocês precisam sair um pouco pra distrair!
-Obrigado mesmo Lucia!
-Foi nada, mas tome cuidado na estrada!
-Pode deixar!
Nos despedimos, eu e Aline entramos no carro, e fomos para casa, chegando lá Aline foi direto arrumar as malas e eu fui fazer, alguns lanches naturais para comer ante de ir e para ela se alimentar durante a viajem.
Depois dela arrumar as malas, peguei tudo e levei para o carro, coloquei as coisa do Luke e levei até o Dino com agente.
Comemos e fomes ver um pouco de desenho e quando já era umas 10 horas saímos de casa, Luke foi no banco de trás, e Aline ao meu lado. Depois de passarmos a cidade e chegarmos a estrada, abri a capota do carro, o vento batia nos refrescando, o cabelo de Aline dançava com o vento e Luke se divertia brincando com ele. Durante a viajem a Aline comeu alguns dos lanches que havia feito, e depois tirou a sandália e apoiou seus pês no painel do carro, e se reconfortou no banco aumentando o volume do rádio. Passei minha mão em seu rosto e ela sorriu para mim e depois fechou os olhos se desligando do mundo.
A noite estava linda, estrelada e com uma lua chamativa, e logo o cêu sumiu depois que entrei no meio da estrada onde havia um caminho cercados  de árvores, algumas folhas caiam sobre o carro, a brisa era leve e podia sentir já o cheiro da maresia, diminui a velocidade e depois de um tempo, chegamos na estrada escondida, que levava até a casa.
Assim que parei o carro Aline abriu os olhos e sorriu, Luke latiu com animação e saltou do carro assim que o soltei. A luz do farou projetava sobras no horizonte e Aline mais do que de pressa, tirou a sandália e afundou seus pês na areia e andou para o mar, o vento batia em seu rosto e ela sorria, a abracei pelas costas.
-Eu Te Amo. – disse no seu ouvido e depois beijei seu pescoço.
-Eu também Te Amo. – respondeu ela sorrindo e me dando um selinho.
Aline se virou e me beijou fazendo eu estremecer, com seus toques leves, deitamos na arei e se beijamos mais, ficamos sobre a luz da lua se divertindo como dois adolescentes tento o seu primeiro amor. Ela começou desabotoar minha camisa, mas eu a impedi.
-Que foi, você não quer? – perguntou ela confusa, nunca eu negava ela.
-Agora não! Vamos esvaziar o carro primeiro, já está tarde.
Aline deu sorriso torto, pois queria que fosse ali, mas eu dei um beijo nela e descarreguei o carro, enquanto ela abria a casa, ela abriu toda a casa, e eu coloquei as malas na sala e tranquei o carro.
Depois entrei e tranquei a porta da frente, e a peguei no colo a beijando, e a levei para o quarto.
-Agora sim, podemos! – deitei ela na cama e fiquei sobre seu corpo, logo começou a desabotoar a camisa. – Espera! – a detive de novo.
-Oque foi?
-Porque você está assim? – perguntei curioso.
-Assim como?
-Toda carinhosa, sei lá, você está carente é? –falei brincando.
-Eu só quero você um pouquinho!
-É você está carente. – disse sorrindo.
-Então mata a minha carência.
-Uhum pode deixar.
Comecei a beijar seu pescoço e ela terminou de desabotoar minha camisa e eu a tirei e a joguei no chão, tirei o vestido dela, e ela soltava o cinto da minha calça e a abria, mas antes que ela terminasse a peguei com força e lhe dei beijo forte, tirei os tênis com o pé e depois a calça jeans, e o mini shorts dela ...
...
...
Capitulo 58 – Seu olhar

A luz do por do sol era ele e criava um tom monocromático, e Aline olhava fixamente o balanço do mar...
Continua ...
Continue Lendo ►