segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Cap.4- Floresta a dentro!



Capitulo 4- Floresta a dentro! 
  
Alexandre e Amanda estavam amarados um de costas para o outro e foram mortos com um tiro na nuca, já Daniel estava esquartejado e com os órgãos todos revirados, Barbara estava amarrada em uma arvore e morrerá esfaqueada e Milena era a única que não achávamos na beira do lago.
-Bom acho que você conseguiu sua história de terror Ingrid!  
Ela simplesmente abaixou a cabeça, e de repente ouvimos um grito de socorro que parecia ser a voz da Milena:
-Se preparem para o horror! – disse a Eduarda tremendo de medo ...
...

...
Luiza do nada, vira para a floresta, e de repente vimos pegadas naquela direção e marcas de um corpo sendo arrastado, percebemos isto pela ajuda da pouca areia que havia na beira do lago.
Naquela noite a Lua era crescente e estava brilhante e para nossa sorte iluminava um pouco o caminho:
-Vamos ter que entrar! – falei.
-Não vamos embora, daqui agora! – disse Ingrid.
-Claro que não e a Milena?
-Deixe ela pra lá, não tem mais como salva-la!
-Ingrid agora você vai poder ter sua história de terror desejada, não quer vir?
-Então vocês vão e eu fico!
-Ta tem certeza que vai ficar sozinha?
-Não!
-Então para de frescura e vamos atrás da Milena!
Então, pegamos alguns pedaços de arvores e a faca ensangüentada que estava a baixo do cadáver da Barbara, e assim entramos aos poucos na floresta...
Quando chegamos ao ponto de não sabermos mais de onde tínhamos vindo fiquei confuso em saber em que direção ir, e todos atrás de mim com receio de palpitar algo, Luiza não desgrudava do meu braço , Eduarda mantinha o seu pedaço de pau levantado, Ingrid de mãos dadas com o Danilo e ele apoiado no Yago.
Todos ficaram parados esperando minha decisão, pois eu era “o mais calmo” no momento:
- Vamos esperar! – disse
-Você está louco? Vamos ficar parados aqui sem fazer nada? – implicou Ingrid.
-Presta atenção, pra onde vamos ? Não estamos mais ouvindo a Milena!
-Isso significa que ela está morta, e já podemos ir embora!
-Mão Ingrid não se mova!
-E por que não?
-Estamos no meio de um ninho de almas e está muito calmo aqui! Espere um pouco!
Todos ficamos em silêncio, e eu olhei em volta e mantive meus ouvidos bem atentos...
Ao nosso redor esta tudo muito calmo, não se ouvia nem o barulho das folhas das árvores e também a presença de alguém era mínimas, olhei para todos os lados e Maximo que vi foi troncos de árvores...
Então decidi fechar os olhos e se concentrar nos mínimos barulhos, e na nossa volta não se ouvia nem a brisa do vendo, o Maximo que consegui ouvir, foi nossas respirações ofegantes!
Então permaneci em silêncio e de olhos fechados só prestando atenção nos barulhos que poderiam vir... E de repente do seu surge um relâmpago mesmo sem o mínimo sinal de chuva e depois um barulho de trovão, e o máximo que precisei ouvir, para desmascarar a emboscada foi um barulho de graveto quebrado atrás de nós:
-Cuidado, atrás de nós – gritei.
E ao olhas pra trás, vimos três meninas contorcidas uma em cima da outra, todas de vestidos braços com manchas de sangue e sujeira, e rostos desconfigurados, de olhos vermelhos, com a boca torta com mais de 500 sentas ponte agudos:
-Sejam, bem vindos!
- Para a nossa, ...
- Festinha particular!    
Disse cada uma das garotas...
Vultos, risadas, gritos, gemidos, ruídos, luzes, passos, vento, relampejos... Tomaram conta da floresta, e o céu que estava sem uma nuvem, escureceu rapidamente e ficou acinzentado, relâmpagos e trovões tomaram conta dos arredores e a tempestade inquietante começou a se derramar sobre nós:
-Que a festa se inicie! – falaram as três meninas de vozes roucas, saindo uma de cima da outra.
-Corram – gritei.
Todos nos movemos para a frente, apenas Ingrid permaneceu aos berros, e rapidamente foi destroçada pelas meninas e varias outras que surgiram...
Aquela floresta estava um verdadeiro inferno, as arvores se sacudiam e batiam umas nas outras, o vento soltava uivos, e as almas perturbadas ou reclamavam, ou iriam em nossa direção enlouquecida mente!
Os berros e os gritos de dor que umas delas soltavam, eram de arrepiar, e os vultos que cruzavam nosso caminho nos deixavam indecisos para que direção tomar...
De repente Danilo, foi pego por uma das almas e em minutos foi degolado e se transformou em um morto vivo na nossa frente, e mesmo sem cabeça nos perseguia como se enxergasse, melhor do que nós.
Yago foi a próxima vitima, ele foi pego pela cabeça de Danilo que pulou das arvores, e esquartejou seu corpo em segundos e vimos sua alma desgrudar do corpo com forma desconfigurada, e sinceramente não parecia ele!
E de repente, a chuva parou, trovões e raios desapareceram, as almas sumiram, junto com o corpo horripilante de Danilo, e de novo a floresta voltou a ser um lugar calmo e vazio!   
E novamente só se ouvia nossa respiração, e ficamos ali só aguardando.
         
     Capitulo 5 –  A cabana   
Autores: @gabiparceli @Izaamoutinho_ @PatyBiglit e @Caio_Bigliazzi

Um comentário :

Cadu C. disse...

Esse deu medo! Estou adorando a série! :)