sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Capitulo 33 – Ano novo!



Capitulo 33 – Ano novo!

Eu a peguei no colo e a levei para a cama, deitei ela e depois deitei ao seu lado, abraçando-a:
-Desculpa, amor eu nunca mais vou fazer isso com você!
-Isso o que? O que você fez?
-Agente nunca mais vai fazer sem camisinha, só pra você não tomar mais essa pílula.
-Mas foi tão bom!
-Mas eu nunca mais quero te ver assim!
-Feli...
-Fica quieta agora, que eu vou cuidar de você!
-Tá bom meu amor.
...
...
Fiquei deitado com ela até ela descansar a cabeça e adormecer, depois eu levantei para pegar as malas e trancar a porta, coloquei uma bermuda para dormir e tirei a roupa da Aline.
Eu fui com cuidado extremo para não acorda-la, tirei a sua sandália  e o mini - short, o mais difícil de tirar foi a camisa e a regata que ela estava. Desabotoei a camisa dela com cuidado, e com um dos braços a levantei da cama e o outro puxei a camisa, quando chegou a vez da regata eu ia levantando ela com calma e sua barriga ia aparecendo, e aquilo foi uma tentação, não resisti e dei uns beijinhos na barriga dela, depois tirei dela a regata, o colar e os brincos grandes.
Levantei da cama para pegar um lençol e depois a cobri, deitei ao seu lado e a acolhi nos meus braços.
De madrugada, acordei com ela me apertando com força, depois ela levantou e foi para o banheiro e eu a acompanhei, eu a segurava para ela não cair e segurava seu cabelo, depois ela me abraçou:
-O que foi?
-Muita dor de cabeça e tontura.
-Eu prometo isso nunca mais vai acontecer com você.
Eu a peguei no colo e a levei para a cama, ela me abraçava com força, e as vezes ela me apertava muito forte que chegava a me machucar mas eu não ligava, ela voltou a dormir depois que comecei a fazer cafuné, para a dor de cabeça parar.
Ela levantou da cama mais umas duas vezes naquela noite.
Depois desse dia ela começou a melhorar, e só sentia dor de cabeça e tontura de vez em quando, mas para protege-la preferi deixa-la dentro de casa vendo televisão e eu cuidando dela.
...
...     
  Na noite da virada eu levei a Aline para o Guarujá, na Barra Funda, para agente curtir os shows e os fogos, eu  fui com um allstar, bermuda e uma regata branca e ela de bata, mini – short e melissa branca, e também levei uma champanhe e duas taças.



Assim que deu meia noite, estourei a champanhe derrubando um pouco nela e em mim, peguei ela no colo com meu outro braço e lhe dei um beijo, depois eu acabei perdendo o equilíbrio e cai na areia e ela em cima de mim, sentei e enchi nossas taças e a beijei intensamente:
-Feliz ano novo minha linda.
-Feliz ano novo.
Nós nos beijamos, novamente e levantamos, e eu fiz uma brincadeira coma ela:
  -Ano novo, garota nova.
-Para seu besta!
-Por que?
-Por que, eu sou sua pela eternidade.
-Então, quer dizer que você aceita casar comigo?
-É você que eu quero!
-Sempre quis ouvir isso.


Eu peguei a champanhe e virei a garrafa na boca dando uns 3 goles, depois peguei as nossas taças de cristal e chamei uma loira que estava do nosso lado:
-Moça quer um presente de ano novo? – ela parou e ficou me olhando – Toma a champanhe e essas taças! – e a moça continuou a me olhar assim que entreguei a ela.
Depois peguei a Aline no colo, afaguei suas costas, e lhe dei um beijo caloroso que durou uns 15 a 20 minutos, aquele com certeza foi um dos nossos melhores beijos, tão caloroso e intenso.
Assim que paramos, sorrimos um para o outro, e mulher ainda olhava agente junto com mais umas pessoas e eu expliquei para eles:
-Esse é o dia mais feliz da minha vida, eu vou me casar.
Ai todos em volta que ouvirão começaram a gritar “Parabéns”, ou alguns gritos sem sentido e uns bêbados faziam piada, e a loura sorria para nos.
E eu sem me importar com as pessoas, deu mais um beijo bem caloroso na Aline, o que fez as pessoas gritarem mais ainda, soltei ela e fui dar feliz ano nova para as pessoas em volta principalmente para a loira que nos olhava:
-Feliz ano novo.
-Feliz ano novo.
-Aaah o rapaz suas taças e a champanhe.
-Não precisa pode ficar.
-Mas essas taças são de cristal e a champanhe é super cara.
-Não importa, pode ficar.
Dei as costas para a mulher e tornei a beijar a Aline, e o show continuou na praia, eu e a Aline voltamos para casa as  da manha.
Antes de entrar na casa a peguei no colo, e a beijei calorosamente, e beijando ela abri a porta de casa depois a encostei, e continuei beijando ela.


Eu a beijava intensamente, e a pegava com força e vontade e ela correspondia com a mesma intensidade, a levei no quarto e joguei na cama cuidadosamente.
Fiquei por cima do seu corpo, e lhe dava beijos e carias, e durante o beijo tirei o seu mini-short ela tirou minha regata.


Eu a pegava com força e vontade, lhe dava caricias, afagava seu corpo, e enchia ela do meu amor, dava beijos pelo seu corpo, mordia seus lábios e orelhas, a pegava com força e lhe tirava a roupa.


Deitei ela novamente na cama só de lingerie, tirei minha bermuda e comecei a beijar sua boca, dei uma mordida nos lábios dela, desci para o pescoço, abri o seu sutiã, e beijei carinhosamente seu tórax descendo para o abdômen e depois dei mais álbuns beijinhos na sua virilha, antes de tirar sua calcinha e dar mais alguns beijinhos, a peguei no colo e a beijei com vontade.
Ela dava leves gemidos e eu também enquanto ela me massageava:
-Nossa Felipe hoje você ta com um fogo, com uma vontade ...
-Você é minha sina, quero você todinha pra mim!
-Nossa gostei desse Felipe meio pervertido.
Peguei uma camisinha na gaveta e a coloquei:
-Aaah hoje vai ser com ...
-Não quero mais te ver mal.
Eu a beijei e ...


...

...
Capitulo 34 – Enjoo
-O que foi amor?
-Só estou enjoada.
-Vamos deitar um pouco então, até você melhorar.
-Felipe ...
...
Continua ...  
Continue Lendo ►

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

15.000 visualizações


Obrigado gente, por ler o blog em 2011 e que continuem lendo em 2012

Continue Lendo ►

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Capitulo 32 – Viagem



Capitulo 32 – Viagem

 -Por favor Aline, eu estou com vontade de experimentar como que é sem.
-Tá bom criança, se divirta. – ela começou a rir.
-Ebaaaa – disse rindo. – Você acaba de deixar uma criança feliz.
-Bobo.
Eu tirei a sua calcinha e acariciei seu corpo novamente dando vários beijos e mordidas, e ela acariciando meu abdômen tirou minha cueca, eu a peguei no colo e a deitei na cama de frente para mim e então comecei a ...
...
...
Depois nós deitamos um do lado do outro e nos abraçamos, e a Aline me fazia cafuné, o que me deixava com sono:
-Amor vai lá tomar o remédio, por favor?
-A cartela, está lá em baixo, e eu estou com preguiça de pegar, amanha de manha eu tomo, tá bom ?
-Tá bom meu amor. – disse sonolento, por causa dos cafunés dela.
-Me responde uma coisa?
-Sim.
-Por que, um menino tão fofo e certinho que nem você, quis fazer comigo sem camisinha?
-Todo garoto tem um lado ou um desejo, pervertido. – disse me reconfortando nos braços dela.
-Mesmo assim, isso não tem nada a ver com você! – ela parou e pensou um pouco. – Já que todo garoto tem, quais são os seus desejos?
-Não posso contar! – parei um pouco para fechar os olhos e descansar. – Mas fala a verdade, foi bem mais prazeroso e gostoso, sem aquela coisa no meio.
-Isso é verdade, eu também gostei bem mais.
-Então agente pode fazer mais vezes?
-É muito perigoso.
-É bom correr riscos, de vez em quando.
Peguei ela nos meus braços e a beijei com toda a vontade do mundo:
-Boa noite meu anjo, tenha bons sonhos.
-Boa noite meu lindo, sonha comigo.
E assim a Aline continuou a fazer cafuné em mim. Até eu cair no sono.
...
...
Na manha seguinte, quando acordei a Aline já não estava na cama, então levantei e foi no banheiro, depois desci e quando foi para a cozinha vi a Aline fazendo o café, eu a agarrei por trás e lhe dei um beijo:
-Bom dia meu anjinho.
-Bom dia meu amor.
-Caiu da cama hoje?
-Não Sr.Felipe, por acaso sabe que horas são?
-Não! Que horas são?
-Já é uma e quarenta da tarde.
-A da um desconto também, ontem a noite, depois da nossa festinha, eu fiquei cansado.
-Preguiçoso!
Sentamos e tomamos café da manha e depois:
-E ai amor preparada para arrumar as coisas e ir hoje a noite pra praia?
-Claro, mas como agente vai?
-Pedi emprestado o carro da Lucia, alias vou ir lá agora pegar ele. – dei um beijo na sua testa e já fui indo. – Aah amor toma o remédio, por favor tá?
-Ai meu Deus, verdade esqueci do remédio, obrigada por me lembrar.
Sai e fui para casa da Lucia, abri a casa, e assim que entrei senti um pouco de saudades da casa e da Lucia, pena que a ela estava na casada mãe, se não eu iria dar um abraço nela, dei uma volta pela casa e só por curiosidade fui até meu antigo quarto, e a Lucia deixou ele do jeito que havia deixado, com os pôsteres na parede e a cama desarrumada.
Desci novamente, e fui para a garagem pegar o carro, dentro dele estava um bilhete:
“Boa viajem Felipe e Aline.
                       Com amor Lucia”
Liguei o carro e voltei para casa.
Ao chegar em casa vejo a Aline no maior desespero revirando a casa toda:
-Aline o que foi?
-Eu não encontro o remédio!
-Ai meu Deus, você tem que tomar ele logo, imagina o que pode ...
-Cala a boca Felipe, não quero nem pensar, me leva na farmácia ?
-Tá, o carro já está lá fora.
Entramos no carro e em pleno natal, fomos correndo para a farmácia, assim que achamos uma aberta, Aline saiu correndo para falar com a farmacêutica:
-Ai moça desculpa o desespero, mas pelo amor de Deus me dá uma pílula do dia seguinte?
-Claro, é pra já. – a mulher ao ver o desespero da Aline saiu correndo para buscar o remédio.
Eu tranquei o carro e fui atrás da Aline e a agarrei depois e cochichei no seu ouvido:
-Vai ficar tudo bem minha princesa, se acalma.
-Aqui está. –disse a mulher nos entregando a pílula.
-Pode me dar um copo com água também? – perguntou a Aline.
-Claro é pra já. – e logo a mulher estava de volta com o copo.
A Aline tomou o remédio e me agarrou com força, e eu tentava acalma-la com caricias leves:
-Vocês não são o Felipe e a Aline da revista ...
-Somos. – disse interrompendo a mulher.
-Vocês sabem o risco que a pílula pode causar?
-Sabemos. – respondeu a Aline mais calma.
-Obrigado moça. – disse.
-De nada.
Paguei o remédio e voltamos para a casa fazer as malas, e de noite partimos para a praia, pelo mesmo caminho das árvores.
E assim que chegamos de lá e entramos na casa a Aline toda sorridente e pulando começou a falar:
-É tão bom estar de volta.
-Parece que você gostou daqui.
-Eu amo esse lugar, ainda mais com você.
-Linda, disse eu soltando as malas no chão, logo atrás dela, de repente a Aline cambaleou para os lados e depois caiu de joelhos no chão.
-Aline!!! – gritei preocupado e a peguei nos braços.
Ela logo se reanimou e levantou e foi correndo direto pra banheiro, eu fui atrás dela, ela estava ajoelhada no chão em frente ao vaso, colocando tudo pra fora, e logo ela ficou mole e encostou na parede.
Eu corri para o lado dela e a coloquei no meu colo, e comecei a fazer cafuné nela:
-Amor o que você tem? Eu estou preocupado.
-Não se preocupa, esse é o efeito da pílula, bom pelo menos em mim é isso o que acontece.
-E o que você está sentindo?
-Dor de cabeça, tontura e enjoo.
Eu a peguei no colo e a levei para a cama, deitei ela e depois deitei ao seu lado, abraçando-a:
-Desculpa, amor eu nunca mais vou fazer isso com você!
-Isso o que? O que você fez?
-Agente nunca mais vai fazer sem camisinha, só pra você não tomar mais essa pílula.
-Mas foi tão bom!
-Mas eu nunca mais quero te ver assim!
-Feli...
-Fica quieta agora, que eu vou cuidar de você!
-Tá bom meu amor.
...
...
Capitulo 33 – Ano novo!
-Ano novo, garota nova.
-Para seu besta!
-Por que?
-Por que, eu sou sua pela eternidade.
-Então ...
...
Continua...  
Continue Lendo ►

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Capitulo 31 – Feliz Natal!



Capitulo 31 – Feliz Natal!

-Não se preocupe comigo, eu estou bem.
Então eu e ela entramos para a aula.
Eu e a Heloisa, estávamos mais próximos, por causa de sua gravides, eu sempre lhe dava apoio e ela também me ajudava muito, com aquele simples sorriso caloroso.
E meu dia seguiu como os outros, com aquela linda rotina de sempre.
...
...
E assim foi pela semana, até o ultimo dia de aula, e depois das aulas o trabalho, depois do trabalho para minha casa, ver minha linda.
Depois dessa semana faltava mais duas para o natal, e eu pedi troca de horário para a Carol, para trabalhar de manha e a tarde poder ficar com a Aline, e nessas tardes nós arrumávamos a casa com enfeites.
Compramos uma árvore enorme que ficou no canto da sala, e compramos vários enfeites para a árvore e o resto da casa.
Nos nunca havíamos nos divertido tanto quanto nessas tardes, e uma das melhores coisas foram as discussões e a mais divertida foi a de escolher o lugar da árvore, ela fazia biquinho toda vez que eu reclamava ou questionava, era tão fofo a cara dela, que eu não resisti e a beijei, e cedi o lugar da árvore.
E varias outras discussões surgiram durante a colocação dos enfeites na árvore e até acabamos nos enroscando nos pisca-pisca.



Depois de tudo pronto a casa estava linda, os corrimões das escadas tinham festoes com laços vermelhos, a casa estava toda moldurada pelos pisca-pisca de cascatas, no jardim tudo estava enfeitado com pisca- piscas, laços e bolas, e na cobertura da churrasqueira e na árvore havia bonecos de neve pendurados.
Até no nosso quarto e na sala de jantar haviam enfeites, no nosso quarto colocamos um pisca-pisca, alguns bonecos de neve pendurados, e arranjos em vasos, já na sala de jantar só havia um vaso enorme com um arranjo lindo e grande no canto.
Nossa árvore era a coisa mais linda da decoração da casa, nela havia bolas vermelhas e douradas, vários laços e fitas, bonequinhos de neve, o pisca-pisca com luzes brancas, a estrela no topo e pela ideia da Aline, ela colocou fotos nossas, o que deixou a árvore muito mais bonita.


E o melhor dessas tardes de decorações é que depois nós fazíamos uma festinha no nosso quarto.  
Na semana anterior do natal, eu encomendei o presente da Aline, q eu havia mandado fazer especialmente para ela, e que ficaria pronto alguns dias antes da véspera do natal, e assim que ficou pronto eu fui busca-lo e o escondi nas minhas coisas.
Na véspera de natal, a Aline passou o dia todo na cozinha, preparando a ceia para nós dois e assim que ela pode parar um pouco ela deitou comigo no sofá:
-Nossa essa noite, vai ser só nós dois! – comentou ela.
-Por que tem algum problema meu amor?
-Não nenhum, eu gosto de ficar com você, o problema é que eu não estou acostumada.
-Eu chamei, a Heloisa e a Lucia, mas elas não vão vir, a Lucia foi para a casa da mãe e Heloisa vai ficar com os pais também.
-Então é só nós dois.
-Isso, mas se você não quiser eu posso ir embora também.
-Idiota. – disse ela rindo e depois me beijou. – A Lucia está meio triste não é?
-Sim, ela não gostou de eu ter saído da casa dela, mas eu vou visita-la sempre que der.
-Posso ir também?
-Mas é claro meu anjo!
A Aline se levantou para terminar de fazer a ceia, depois de tudo pronto e mesa arrumada, fomos tomar banho e depois descemos para ver o especial de natal do Mickey que estava passando na televisão.
Quando já estava faltando alguns minutos pra meia-noite, eu e ela fomos para o deck da piscina estourar a champanhe, depois de estourada servi a nós dois e demos um gole e nos abraçamos:
-Feliz natal, meu anjinho!
-Feliz natal meu amor!
Nos beijamos, com pegada, vontade, amor e muito calor e só fomos parar quando perdemos o folego.
E ai sim fomo jantar, a mesa estava toda decorada com várias folhas e velas e alguns castiçais no centro, a Aline havia feito um peru recheado, um arroz totalmente diferente, uma salada e de sobremesa um mousse, e na mesa ela também colocará frutas e um panetone trufado:
-Nossa que produção. – comentei e ela começou a rir – Parabéns meu amor!
-Obrigada.
Depois de comer, eu a levei para sala na frente da árvore e sentamos no chão:
-Amor eu tenho um presente pra te dar.
-Sério!
-Talvez seja meio cedo pra isso, mas é você quem eu quero, e eu já tomei minha decisão.
-Nossa que presente é esse, tá me deixando curiosa.
- Se você não aceitar eu vou entender.
Eu peguei então a caixinha que estava no bolso da minha calça jeans, e a abri, dentro dela havia um anel prata desenhado delicadamente, com linhas entrelaçadas,  com pequeninas pedras de diamante e uma pedra um pouco maior de safira azul.


-Aline casa comigo?
-Ai que anel lindo, mas...
-Aline eu sei que é cedo pra isso, mas eu te amo mais que tudo nesse mundo, eu quero ter você ao meu lado para sempre.
-Felipe você só tem 17 e eu 18 somos muito novos ainda, pelo menos pra isso.
-Mas não precisa ser agora, se você quiser agente pode esperar agente terminar a faculdade ou até mais, por favor aceite.
-Está bem, mas não será agora
-Eu te amo. –  lhe dei um selinho e coloquei o anel no seu dedo.
-Eu também te amo.


Ela sentou no meu colo e fundiu nossos corpos depois ela me deitou no chão, e começou a acariciar meu músculos e depois a bagunçar o meu cabelo com aquelas mãos delicadas e gentis, que me faziam flutuar no espaço.
Ela me puxou de volta me fazendo sentar e cochichou na minha orelha:
-Vamos lá em cima, que eu quero lhe dar meu presente.
Ela me levou até o quarto e me deitou na cama e foi para o banheiro, e assim que ela voltou ela estava usando uma lingerie nova preta, toda trabalhada, e o anel em seu dedo brilhava como se estivesse sorrindo:
- Nossa se quer me matar garota?
-Com certeza!
Ela subiu na cama e começou a gatinha até ficar por cima do meu corpo e depois ela sentou em cima da minha cocha e me puxou pela camiseta.


Eu a peguei nos braços, afaguei suas costa dando beijos e mordidas leves no seu pescoço, oque fez ela dar um leve gemido, e depois ela tirou minha camiseta e começou a acariciar meu abdômen dando leves beijos pelo meu corpo, depois ela tirou o cinto e abriu o zíper da minha calça.


Assim que tirei a calça fizemos mais caricias um no outro, até eu soltar o sutiã dela e dar certas ameaças de tirar sua calcinha:
-Espera. - disse ela.
-O que foi, eu te apertei? Te pequei com muita força? Te machuquei? Desculpa amor eu não queria te...
-Calma Felipe, só quero que você pegue a camisinha.
-Hum sabe, elas acabaram!
-Aah não acredito, justo hoje.
-Vamos fazer sem hoje.
-Se tá louco?
-Por favor, só hoje ? Depois você toma o seu remédio...
- Não Felipe e perigoso e ...
-Por favor? Só hoje, eu prometo, só hoje. Vamos experimentar como é sem.
-Felipe...
-Por favor Aline, eu estou com vontade de experimentar como que é sem.
-Tá bom criança, se divirta. – ela começou a rir.
-Ebaaaa – disse rindo. – Você acaba de deixar uma criança feliz.
-Bobo.
Eu tirei a sua calcinha e acariciei seu corpo novamente dando vários beijos e mordidas, e ela acariciando meu abdômen tirou minha cueca, eu a peguei no colo e a deitei na cama de frente para mim e então comecei a ...


...
...
Capitulo 32 – Viagem
-É tão bom estar de volta.
-Parece que você gostou daqui.
-Eu amo esse lugar, ainda mais com você.
...
Continua ...
Continue Lendo ►

domingo, 25 de dezembro de 2011

Wallpaper Natal 2011


Olha ai gente estou deixando disponível o Wallpaper do blog!
Continue Lendo ►

Sweet Christmas Madness









Continue Lendo ►

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Capitulo 30 – Vem comigo?



Capitulo 30 – Vem comigo?
                       
Depois de escrever a carta ela veio, para meu colo e começou a chorar, eu só a reconfortei  nos meus braços, e não me importei com a dor física que os toques dela causavam nos meu machucados, me importei mais em proteger minha garota:
-Aline vamos pra casa?
-Que casa?
-A nossa, que eu comprei a 2 messes, vamos pra lá e vamos ser felizes juntos!
...
...
Eu a segurei firme, e lhe dei um beijo caloroso, ela apenas retribuiu e se entregou ao momento e assim que paramos ela me abraçou com força:
-Ai! – resmunguei de leve, quando ela colocou a mão nas minhas costas, mas ela conseguiu ouvir.
-Desculpa!
-Não está tudo bem!
-Você está muito machucado? Consegue pelo menos andar umas duas ruas?
-Com um pouco de dificuldade mas consigo.
-Então vamos para a nossa casa. – ela me deu um selinho e se levantou.
-É tão lindo ouvir isso! – comentei.
-Isso o que?
-“Nossa casa” gosto tanto de ouvir.
Ela pegou o bilhete e colocou do lado do pai, levou as malas para baixo, e colocou um vestido por cima da lingerie e eu coloquei minha camiseta.
Ela me ajudou a levantar e a descer as escadas, e depois fomos andando até a nova casa, consegui chegar com um pouco de dificuldade, mas cheguei.
Assim que chegamos Aline, largou as malas na sala e já me levou pra o quarto:
-Bom vamos cuidar de você agora, vou fazer uns curativos. – disse ela me ajudando a subir as escadas.
Ela me deitou na cama e foi pegar os remédios para fazer os meus curativos, assim que ela pegou tudo, tirou o seu vestido e a minha camiseta.
Meu estomago estava completamente roxo, por causa de tantos socos e joelhadas, meus braços e pernas com alguns cortes, por causa dos vidros do chão, e minhas costas estava arranhada e com alguns cortes, por causa do espelho, até meu rosto tinha alguns cortes e meu nariz ainda sangrava um pouco, por causa do soco.
Ela começou a cuidar de mim, na minha barriga ela passou uma pomada e a aplicou com uma boa massagem, que estava me deixando doido, e sento assim não resisti e roubei um beijo dela:
E assim que ela acabou com os curativos, fui eu que fui cuidar dela:
-Amor e você como está, ele te machucou muito?
-Não só um pouquinho, mas e estou bem.
Olhei para o corpo dela e vi s marcas das mãos deles no braço dela, pescoço, barriga e pernas, então:
-Sabe oque é melhor do que remédios?
-O que?
-Beijinhos...
Eu a deitei na cama e a beijei, depois fui dando beijinhos onde estavam os machucados, enquanto acariciava o seu corpo, e durante meus “beijinhos curativos” ela dava leves gemidos:
-E ai melhorou, com os meu “beijinhos curativos” ou quer mais?
-Hum estou melhor, mas séria delicioso se você repetisse.- disse ela sorrindo.
-Já que esse é o seu desejo...
Eu a agarrei novamente e lhe dei mais beijinho e junto com eles umas mordidas leves e carinhosas, enquanto ela ria das minhas caricias que davam cocegas.
E não demorou muito deitamos para dormir.      
Na manha seguinte, eu acordei com um pouco de dor mas logo passou, olhei para a Aline e ela ainda dormia tranquilamente, então eu a abracei e fiquei esperando ela acordar.
Assim que ela acordou, ela retribuiu o abraço e me deu um beijo, levantamos e fomos tomar o café da manha:
-E ai amor o que vamos fazer nesse domingo? – perguntei.
-Bom eu vou cuidar de você.
-Mas eu estou bem.
-Então nós vamos ver filmes juntinhos.
-Tá bom se é isso que você quer.
E assim foi, eu e ela ficamos a tarde toda agarrados vendo filme, e eu tentava evitar de pensar nos meus machucados, que ainda doíam um pouco.
Na segunda feira de manha, eu fui como sempre pra escola, e ainda bem que era a ultima semana de aula, e como todos os dias de aula, eu encontrei a Heloisa no portão da escola com um caloroso sorriso:
-Felipe!
-Oi Hello! – disse a abraçando.
-Tudo bom?
-Tudo e você?
-To bem!
-E o filhote como vai?
-Não chama ele de cachorro Felipe.
-Desculpa. Mas ele tá bem?
-Tá sim, fui no medico ontem, ele disse que está tudo bem.
-Que ótimo. E já contou ao seus pais?
-Ainda não.
-Você tem que contar logo, você já está com 4 messes de gestação, daqui a pouco sua barriga vai começar a aparentar.
-Eu sei mas tenho medo da reação deles.
-Se você quiser eu assumo a criança no lugar do Danilo.
-Não isso nunca.
-Por que não? Seus pais confiam em mim, vai ser mais fácil, e você é minha amiga, não tem problema nenhum eu assumir a criança, a Aline vai aceitar de boa.
-Não, você não vai pagar pelos erros dos outros.
-Bom você que sabe, mas se precisar eu estou aqui, você sabe.
-Sei! – ela me abraçou com força. – Enfim, que marcas são essas em você?
- É isso foi só uma briguinha com o pai da Aline, nada de mais.
-É nada de mais, braço roxo, nariz machucado, rosto cortado e outras cicatrizes, deve ter sido tranquilo mesmo.
-Não se preocupe comigo, eu estou bem.
Então eu e ela entramos para a aula.
Eu e a Heloisa, estávamos mais próximos, por causa de sua gravides, eu sempre lhe dava apoio e ela também me ajudava muito, com aquele simples sorriso caloroso.
E meu dia seguiu como os outros, com aquela linda rotina de sempre.
...
...
Capitulo 31 – Feliz Natal!
-Talvez sei meio cedo pra isso, mas é você quem eu quero, e eu já tomei minha decisão.
-Nossa que presente é esse, tá me deixando curiosa.
- Se você não aceitar eu vou entender.
Eu peguei então...
...
Continua ...
Continue Lendo ►