segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Cap.2 - Vigiados




Capitulo 2 -– Vigiados 

Era bem cedo e ainda o sol despontava no horizonte, fazendo um lindo contraste atrás das árvores, e quando passamos pelos portões velhos e enferrujados do acampamento, o sol iluminava a bela clareira onde ficamos, mas nem a beleza do lugar me tirou as tensões do passado...

...
Desci do carro e observei atentamente o lugar, e se não fosse pela grama alta e as árvores não podadas, poderia disser que aquele lugar havia parado no tempo, a maioria das coisas estavam no mesmo lugar, como a casa do guarda florestal que morava ali, e sua cadeira de balanço que ainda permanecia na varanda da casinha!
E o prédio da administração, embora com as portas fechadas e trancadas, pelos vidros ainda se via tudo exatamente em ordem, até as placas com os nomes dos administradores permaneciam sobre as mesas, como o da Sra. Darlene. E por mais estranho que parecesse, ainda havia objetos pessoais dela sobre a mesa, como a foto da filha e do marido.
Cada segundo que passava, uma nova interrogação surgia em minha cabeça, como por exemplo, o por que do casaco do guarda florestal  ainda estar do lado de fora da casa, pendurado em um gancho?
Mas voltando a campina, aonde íamos armar as barracas, todos estavam extremamente felizes e sorridentes, e Ingrid era a que mais demonstrava a sua felicidade e animação. E eu ao contrario deles estava completamente mal, por estar ali e infeliz por ter de relembrar certos  momentos que rolaram dentro do acampamento.
E um dos principais, foi a noite anterior da morte de Gabriela, que nosso grupo de amigos se reuniu em volta da fogueira, ali mesmo na campina, na roda contamos os nossos planos para o futuro e nossos maiores sonhos.
Aquela noite foi muito especial para mim, o por que eu não sei, mas pelo menos naquele ano, eu estava de bem comigo mesmo e com os outros. Mas depois do choque que tomei na manhã seguinte, mudou muito minha vida!
Fazia tempo em que não pensava nos meus antigos amigos e no maldito acampamento, mas estar lá era quase impossível, não relembrar deles e principalmente de suas brincadeiras, como aquelas de assustar os outros todo momento ou acordar alguém de um jeito bem diferente.
Mas voltando ao presente, decidi me desencostar da árvore e me livrar dos pensamentos que perambulavam  no passado e que as vezes demoravam para voltar ao presente.
Então, decidi ajudar o Yago, Danilo e Daniel, a descarregar o carro, tirávamos de lá malas e mais malas, a maioria delas pertenciam as garotas, por que cada garoto só havia levado uma, ou no meu caso uma mochila.
Ao todo haviam nove pessoas, então levamos quatro barracas, eu e Luiza ficaríamos em uma, Danilo, Yago e Ingrid, em outra, Já Alexandre e Amanda preferiram uma só pra eles, e então Milena, Daniel e Barbara ficaram na outra.
Todos estranhamos ao motivo de Alexandre e Amanda quererem dormir juntos, mas ninguém ousou um comentário se quer, mas até que eu desconfiava um possível relacionamento entre eles, pois nas ultimas semanas  começaram a andar bem mais próximos!
Enquanto montávamos as barracas, as garotas nos olhavam  e davam opiniões de qual ficaria mais bonita ou qual garoto terminaria mais rápido, bom isso pra elas era uma boa forma de se distrair, enquanto organizávamos o lugar.
Admito que montar a barraca aliviou e ocupou meus pensamentos, por um tempo, e assim que acabei coloquei minha mochila e as duas malas da Luiza dentro da barraca. Eu fui o primeiro a acabar, e então por causa do sol, entrei para me refrescar e não demorou muito Luiza também apareceu:
-O que está achando até agora? – perguntou ela
-Bem legal! – menti
Ela deitou ao meu lado e começou a acariciar minha cabeça, e logo depois ela se levantou para fechar a barraca, de repente ela começou a tirar a roupa:
-Ei, o que está fazendo? – perguntei
-Trocando de roupa ué!
-Mas, na minha frente?
-Nossa Bruno para de ser louco, você já me viu um monte de vezes nua, já dormimos tantas vezes juntos, qual é o problema de eu me trocar na sua frente?
-Nenhum!
-Bruno você está muito louco ultimamente!
-Acho que você tem ração! – concordei.
Então, ela continuou a tirar a sua regata, depois tirou o shorts, soltou o sutiã e por ultimo a calcinha, e depois deitou sobre mim  me roubou um beijo. Eu também aproveitei par trocar de roupa, tirei a calça e a camiseta, coloquei depois uma bermuda e fiquei sem camisa, ela colocou o biquíni e um mini-shorts.
Depois, saímos da barraca e nos enturmamos com o resto da turma, enquanto terminávamos de organizar a campina, as horas passavam voando e só fomos terminar ao cair da noite, e então todos cansados comemos algo e fomos dormir.
Era sete da noite e todos já estavam exaustos, eu e Luiza fomos os primeiros a entrar para dormir, ela colocou uma lingerie e eu coloquei um outra bermuda, então eu a abracei e não demorou muito para ela dormir, já eu fiquei um bom tempo para conseguir dormir.
No meio da noite, eu acordei com um barulho estrondoso que veio do lado leste da campina em meio as árvores, Luiza como estava exausta, nem se quer se manifestou ao ouvir o barulho, já eu fiquei com os ouvidos atentos!
Eu fechei os olhos, e me concentrei nos barulhos a minha volta, e consegui detectar vários deles vindo da floresta a leste, oeste e sul da campina , eram passos macios e delicados que tocavam o chão e outro forte e marcante!
Só consegui identificar esses som, pelas folhas secas e galhos caídos no chão, que se partiam a cada passo dos que nos observava, logo depois mais passos apareceram e eles rondavam e cercavam toda a campina, mas foi o do passo mais marcante que se aproximou mais!
Ele entrou na campina pelo lado leste e começou a andar entre as barracas, infelizmente não consegui detectar sua sombra ao passar ao lado da minha barraca, mas pode sentir o seu pé pisando ao chão, estava assustado e curioso em descobrir que era, mas não me atrevi a sair da barraca.
Não demorou muito tempo para o individuo sair do meio da campina e voltar a floresta, então de certa forma relaxei um pouco ,mas mesmo assim sentia os outros cercando a campina e nos observando. Desde que continuassem ali sem fazer nada alem de observar, estava tudo tranquilo.
Tentei não me abalar, abracei a Luiza e tentei voltar a dormir, mas...
...
Continua...

Capitulo 3 – Divisão   
   Autores: @gabiparceli @Izaamoutinho_ @PatyBiglit e @Caio_Bigliazzi

2 comentários :

Matheus - Boy Teen disse...

Por que você faz isso com nós Caio?? Deixando nós morrendo de curiosidades?? (bem pelo menos eu :h) ai ai ai, agora vo ter que esperar mais tempo, obrigado Caio!(sendo irônico*) to brincando cara, vo estar sempre seguindo, e esperando ansiosamente o 3 capítulo!!!!

Raull Gomes disse...

Gostei do final, quando você resolveu deixar o capítulo interessante e colocar suspense! Nossa, eu fiquei realmente muito ansioso. Lá vai eu ler o próximo capitulo ;D