domingo, 3 de junho de 2018

Relação Complicada





A pior parte do termino de um relacionamento é quando ele ocorre por que você gosta da pessoa. Pode soar bizarro  e esquisito mas esse tipo de coisa existe. Apesar de tudo ainda sinto falta dele, sinto falta de algumas coisas, lembro de coisas que fazíamos, vejo coisas quem me lembram outras e assim por diante. 
Mas por mais que seja difícil, mesmo que goste ou ame a pessoa, há coisas que não podemos suportar simplesmente por amor, cuidar de si e do outro também é entender a hora que tudo acaba. Insistir em algo que só nos machuca, não vale a pena. Ver alguém mal, por sua causa, não vale a pena. 
Muitas pessoas acreditam que amor é a unica coisa necessária para se estar em uma relação, mas elas não podem estar mais enganadas, muitas e muitas coisas envolvem toda essa loucura, o difícil é reconhece-las e entende-las. 
Por muitas vezes me vi em momentos com os quais eu não sabia lidar e não entendia, mas também via que era errado e mesmo assim deixei as coisas irem até não dar mais para aguentar, tudo se torna chato, impossível e irritante. Quando na verdade certas coisas não foram ditas quando eram necessárias. 
Deixar as coisas irem é permitir que as coisas fiquem insuportáveis. E pensar que o amor consertará tudo é uma das ideias mais erradas que podemos ter, pois não vai. 
Permitir um amor ir é muito mais valido do que deixar ele ficar até não existir mais nada.
Continue Lendo ►

Viado Anormal

Imagem relacionada



Existe algo de anormal em ser Gay, algo que nunca te permite nunca mais ser outro tipo de coisa, pois o rotulo sempre virá primeiro do que a pessoa que você é! Tudo pelo que tenho passado, visto e ouvido, me deixa cada vez mais sem opções de pensar em ser alguém, simplesmente ser alguém, algo como alguém normal. Não que eu ache que gays não são normais, claro que acho e defendo isso, pois também sou, mas o fato é por que isso é tão importante para os outros?
A partir do momento que nos assumimos deixamos de ser uma pessoa , um ser humano, e nos tornamos rótulos, e a cada dia que passa outros mais surgirão; Se você é ativo, passivo, flex, versátil, binário, não binário, afeminado, barbie, bear, twink... Entre tantos outros. É difícil ser simplesmente você no meio dessa loucura toda, é difícil simplesmente ser, quem dirá então se apaixonar por alguém. 
Em mundo homossexual as coisas são tão delicadas e frágeis que todo cuidado é pouco, olhamos cada minimo detalhe para não cair numa armadilha. Olhar alguém pode ser ofensivo, tentar entrar em contato com alguém pode ser ofensivo, beijar em publico, dar as mãos, fazer carinho, amar... Todas são as armadilhas que estão na nossa frente e temos que observar com muito cuidado para não nos machucar. Nesse mundo louco as relações se limitam a conhecer pessoas online, ter uma conversa vazia com caras, ouvir cantadas aleatórias, pedir fotos, mandar fotos e esperar pra que algum dia você finalmente consiga encontrar com a pessoa.
O mundo virá de ponta cabeça quando o assunto é sexualidade, estamos tão atrasados em tantos aspectos que da até medo de pensar e a cada dia que passa descubro um rotulo novo ou uma nova norma, as coisas poderiam ser mais fáceis se cada pessoa visse o outro como pessoa, ou só como elas são, sem definir caráter, pelo o que o outro está aparentando a primeira vista.
A liberdade de todo Gay é tirada, quando ele se esconde, se reprimindo fingindo não sentir o que realmente sente ou o que realmente. E também quando ele se assume pois agora temos que ser fortes, orgulhosos e lutar. Não só por nós mas por todos os outros também. É foda ser Gay num mundo heteronormativo!
Continue Lendo ►

terça-feira, 3 de outubro de 2017

A Beira do Abismo

Imagem relacionada



    Eu estou a beira do abismo e eu tenho que pular, não existe outra opção. O medo de pular as vezes nos impedem de conquistar diversas coisas, ele nos trava, realmente não é fácil, mas é um mal necessário. Não saber o que vai acontecer nas próximas duas horas é assustador mas eu não estou no controle, exatamente, eu estou fora do controle, não da mais para aceitar os comandos: coloca no 5, abaixa, não! Aumenta o Volume! Passa, não! Volta! Chega! 
   Parece que a derrota chegou mais cedo hoje, eu sinto a impotência, mas eu sinto também minha importância, é um misto de eu posso com o eu consigo e também a negação de tudo isso. Como se me colocaram aqui e me disseram "Pula!", mas eu estou sem paraquedas! O voo vai ser pesado e ao chegar lá em baixo quem se quebra? O chão me destrói ou eu que destruo ele?  Essas são coisas que eu só vou descobrir, pulando! 
   O frio na barriga é presente, o medo existe, mas não me impede. Estou pronto! Vai pula! Não! Respira fundo, estou pronto, mas um impulso não me sustentará no ar, o que farei? Exatamente, o que farei?
    Eu tenho tudo a meu favor e contra, também. Só quando eu chegar no final, vou saber quem se destrói e isso por enquanto não me abala! 
     A imagem que me vem na cabeça, sobre tudo isso, é quando você dorme e sonha que está caindo mas ai você acorda assustado e percebe que está tudo bem.
    Se a evolução não fosse incomoda, seriamos todos seres-humanos exercendo a sua humanidade, sem discutir em quem o beijo foi dado, se minha fé é superior ou inferior, se minha conta tem mais ou menos... No abismo da evolução existem aqueles que não pulam por terem medo e aqueles que pulam mesmo com medo. Eu particularmente prefiro a segunda opção.
     Escalamos uma montanha, chegamos ao topo, vemos o nosso redor tudo que conquistamos, tudo o que vivemos... E no topo ou você se acomoda ou se incomoda, você pode voltar o caminho que fez, você pode ficar, você pode pular... Depende daquilo que você deseja, ao pular você pode encontrar outra montanha, para conquistar e pular de novo.
     Afinal ao ficar você se acomoda ou se incomoda? Se te incomoda, você pula? Eu me vejo a beira do abismo, a beira da morte. 
     A morte também é um abismo ao qual você tem que pular, é uma viagem que deve ser feita, não tem como escapar. É o tipo de viagem que te leva a outro lugar ao qual você nunca saberá qual é, mas você tem que ir uma hora, a questão é: quantos saltos você deseja fazer antes do último abismo chegar? Vai conquistar quantas montanhas antes da última chegar? Você pode esperar ou pode seguir em frente, mas o salto tem que ser dado e o medo, ele sempre vai existir!

- Caio Bigliazzi

Continue Lendo ►

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

As Sutilezas Diárias



Eu realmente não entendo o que acontece ao meu redor, sabe quando você é a pessoa que mais tenta e nunca consegue dar um passo além? É assim que me sinto quase todos os dias, eu realmente não entendo, não entendo!
Existem momentos que eu só quero que tudo pare, que tudo  desapareça, que eu tenha que parar, mas não para. Todos os dias eu tenho que me auto afirmar, me alto reconhecer... Não sei, me sinto num labirinto e as pessoas a minha volta também me provocam isso! Eu não sei, parece que nada que eu faço tem um verdadeiro valor, eu sou uma pessoa extremamente independente e isso me mata muitas vezes. Eu não peço permissão, eu faço! 
E todas as conquistas que possuo são por méritos próprios, eu lutei por isso e consegui! Mas por mais que eu sinta orgulho de mim mesmo, eu sou o único que se orgulha, não quero atenção, não quero nada de ninguém, mas no minimo um reconhecimento. A única coisa que conheço na minha vida é critica, a critica dos outros e as minhas, eu exijo demais de mais, reconheço, mas isso é para o meu crescimento, para que eu sempre tenha vontade e desejo de cada vez ser uma pessoa melhor em todos os sentidos. 
Busco de mim sempre o melhor, sempre o meu máximo, o minimo não é valido quando se trata das minhas tarefas... Mas isso tem me deixando tão exausto, tenho 19 anos e me sinto com uns 30/40. Eu realmente não sei para onde minha juventude foi, ela apenas escorreu entre os meus dedos. 
As pessoas a minha volta desistem de mim, todos, eu pouco sei o que é companhia, sempre foi eu e só eu, não existe um desejo das pessoas a minha volta de querer estar comigo, e eu sou sempre aquele que carrega todos comigo. Mas carregar o mundo nas costas é algo tão exaustivo.
Eu não consigo ser egoísta e fazer só aquilo que me levará a algum lugar, quero crescer junto com aqueles que estão a minha volta. Mas não há pessoas a minha volta que querem crescer comigo...
Eu estou cansado de enfrentar batalhas sozinho! 
Gostaria realmente de ser o bosta que me intitulam!
Continue Lendo ►