terça-feira, 3 de outubro de 2017

A Beira do Abismo

Imagem relacionada



    Eu estou a beira do abismo e eu tenho que pular, não existe outra opção. O medo de pular as vezes nos impedem de conquistar diversas coisas, ele nos trava, realmente não é fácil, mas é um mal necessário. Não saber o que vai acontecer nas próximas duas horas é assustador mas eu não estou no controle, exatamente, eu estou fora do controle, não da mais para aceitar os comandos: coloca no 5, abaixa, não! Aumenta o Volume! Passa, não! Volta! Chega! 
   Parece que a derrota chegou mais cedo hoje, eu sinto a impotência, mas eu sinto também minha importância, é um misto de eu posso com o eu consigo e também a negação de tudo isso. Como se me colocaram aqui e me disseram "Pula!", mas eu estou sem paraquedas! O voo vai ser pesado e ao chegar lá em baixo quem se quebra? O chão me destrói ou eu que destruo ele?  Essas são coisas que eu só vou descobrir, pulando! 
   O frio na barriga é presente, o medo existe, mas não me impede. Estou pronto! Vai pula! Não! Respira fundo, estou pronto, mas um impulso não me sustentará no ar, o que farei? Exatamente, o que farei?
    Eu tenho tudo a meu favor e contra, também. Só quando eu chegar no final, vou saber quem se destrói e isso por enquanto não me abala! 
     A imagem que me vem na cabeça, sobre tudo isso, é quando você dorme e sonha que está caindo mas ai você acorda assustado e percebe que está tudo bem.
    Se a evolução não fosse incomoda, seriamos todos seres-humanos exercendo a sua humanidade, sem discutir em quem o beijo foi dado, se minha fé é superior ou inferior, se minha conta tem mais ou menos... No abismo da evolução existem aqueles que não pulam por terem medo e aqueles que pulam mesmo com medo. Eu particularmente prefiro a segunda opção.
     Escalamos uma montanha, chegamos ao topo, vemos o nosso redor tudo que conquistamos, tudo o que vivemos... E no topo ou você se acomoda ou se incomoda, você pode voltar o caminho que fez, você pode ficar, você pode pular... Depende daquilo que você deseja, ao pular você pode encontrar outra montanha, para conquistar e pular de novo.
     Afinal ao ficar você se acomoda ou se incomoda? Se te incomoda, você pula? Eu me vejo a beira do abismo, a beira da morte. 
     A morte também é um abismo ao qual você tem que pular, é uma viagem que deve ser feita, não tem como escapar. É o tipo de viagem que te leva a outro lugar ao qual você nunca saberá qual é, mas você tem que ir uma hora, a questão é: quantos saltos você deseja fazer antes do último abismo chegar? Vai conquistar quantas montanhas antes da última chegar? Você pode esperar ou pode seguir em frente, mas o salto tem que ser dado e o medo, ele sempre vai existir!

- Caio Bigliazzi

Continue Lendo ►

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

As Sutilezas Diárias



Eu realmente não entendo o que acontece ao meu redor, sabe quando você é a pessoa que mais tenta e nunca consegue dar um passo além? É assim que me sinto quase todos os dias, eu realmente não entendo, não entendo!
Existem momentos que eu só quero que tudo pare, que tudo  desapareça, que eu tenha que parar, mas não para. Todos os dias eu tenho que me auto afirmar, me alto reconhecer... Não sei, me sinto num labirinto e as pessoas a minha volta também me provocam isso! Eu não sei, parece que nada que eu faço tem um verdadeiro valor, eu sou uma pessoa extremamente independente e isso me mata muitas vezes. Eu não peço permissão, eu faço! 
E todas as conquistas que possuo são por méritos próprios, eu lutei por isso e consegui! Mas por mais que eu sinta orgulho de mim mesmo, eu sou o único que se orgulha, não quero atenção, não quero nada de ninguém, mas no minimo um reconhecimento. A única coisa que conheço na minha vida é critica, a critica dos outros e as minhas, eu exijo demais de mais, reconheço, mas isso é para o meu crescimento, para que eu sempre tenha vontade e desejo de cada vez ser uma pessoa melhor em todos os sentidos. 
Busco de mim sempre o melhor, sempre o meu máximo, o minimo não é valido quando se trata das minhas tarefas... Mas isso tem me deixando tão exausto, tenho 19 anos e me sinto com uns 30/40. Eu realmente não sei para onde minha juventude foi, ela apenas escorreu entre os meus dedos. 
As pessoas a minha volta desistem de mim, todos, eu pouco sei o que é companhia, sempre foi eu e só eu, não existe um desejo das pessoas a minha volta de querer estar comigo, e eu sou sempre aquele que carrega todos comigo. Mas carregar o mundo nas costas é algo tão exaustivo.
Eu não consigo ser egoísta e fazer só aquilo que me levará a algum lugar, quero crescer junto com aqueles que estão a minha volta. Mas não há pessoas a minha volta que querem crescer comigo...
Eu estou cansado de enfrentar batalhas sozinho! 
Gostaria realmente de ser o bosta que me intitulam!
Continue Lendo ►

domingo, 28 de maio de 2017

Touro e Suas Decisões


Imagem relacionada


    Há quem chame de teimosia, há aqueles que definem taurino como cabeça dura ou empacados, no meu caso eu traduziria taurino como objetivo, sincero e certeiro. A cada dia me vejo e me encontro cada vez mais em meus objetivos. Analiso cada detalhe e o próximo passo a ser dado será o certeiro. 
    Pode demorar 3 anos, 3 semanas ou 3 dias, mas o passo será dado, o tempo em que vivemos é o tempo da realidade e não dos sonhos, sonhos se tornam realidade diante dos meus olhos, penso muito antes de tomar minhas decisões pois sei que cada escolha existe sua consequência e de todas as escolhas que já fiz hoje, não me arrependo de nenhuma pois foram certeiras... Na quinta série decidi que seria um ator e me tornei um no tempo certo e no caminho certo, decidi que faria experiências com companhias teatrais que eu admiro e estive presente em todas as quais eu queria. Com 19 anos tenho um caminho que muitos levariam anos para conquistar e em 6 anos eu construí minha trajetória, que me trás muitos benefícios até hoje. Todas minhas escolhas foram precisas, conheci pessoas incríveis, artistas magníficos e me orgulho ao dizer que sou ator quando conheço minha trajetória. 
    Julgam muito um taurino por suas decisões lentas ou tardias, mas acredite nada é feito sem um propósito, hoje eu me vejo muito diferente de três anos atrás em que tomar decisões ou dar o próximo passo era um grande desafio, o medo tomava conta, mas hoje me sinto livre para trilhar meu caminho sem receio pois me conheço e seu o que eu quero e como alcançar o que eu quero. Me julgam muito por eu não aproveitar certos momentos, festas, passeios... Mas eu não me preocupo, pois tenho foco e sei qual é o norte na minha bússola. 
    Touro é o signo da potência, da entrega, é sim ou não, 8 ou 80... Talvez, depois, vou pensar... Não existem no nosso dicionário, somos um trem bala, seguimos nosso caminho e tem aqueles que nos acompanham e embarcam na nossa viagem e aqueles que são arrastados pela nossa locomotiva, não se pode parar um taurino, nessas ocasiões existem duas escolhas: você os acompanha ou sai do caminho, para não serem levados. E eu nesse meu ano em aries percebo que eu não vou parar, vou quebrar todas as barreiras que me são impostas, ou segue comigo ou desiste, por que eu estou entrando com os dois pés na porta. E isso não é achismo ou egocentrismo, é um fato.

Caio Bigliazzi
Continue Lendo ►

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Aqueles Dias Contraditórios



Não sei exatamente para que vou escrever isso, mas se você espera algo inovador, algo deslumbrante ou sei la quais sejam suas expectativas com esse texto, já desista, tenho certeza que cada palavra é mais um desejo de organizar minha mente do que um texto para ser lido.
Já fazem alguns dias em que não caibo dentro de mim, é meio estranho se sentir pequeno, logo eu que não tenho medo de nada e sou do mundo, mas nos últimos dias percebo que não me reconheço num me vejo, meu corpo não é o meu corpo. Como se eu estive-se morando de favor em um outro alguém. Geralmente sou o tipo de pessoa odiada pela maioria, e realmente isso não me incomoda, não sou mesmo de muitos amigos e não faço questão de sorrir para quem não me agrada.
Mas é estranho que nos últimos dias não sinto isso, me sinto abalado pelo mundo, e não de opiniões fúteis mas sim de opiniões que ferem e interferem quem eu sou.
Eu sou o tipo de pessoa que grita,  sai e arrasta todos junto comigo, aquele que nunca fica calado e mesmo que calado a força em mim e o fogo que tenho faz com que os outros se calem na minha presença.
Sou forte e sei muito bem disso, com a idade que eu tenho já estive em lugares e fiz coisas imagináveis, ocupo lugares em que outras pessoas levam anos pra conseguir. E tenho muito orgulho do caminho que percorri até agora.
Mas me sinto preso e limitado, tudo que tenho feito me colocaram barreiras e não são barreiras com as quais já me deparei e não são barreiras que me ajudaram a me afirmar no mundo. São barreiras de ego, inveja, ódio,   incerteza, medo, desespero, capitalista...
São barreiras de ódio, literalmente, vejo todos os dias competições desnecessárias entre pessoas que deviam se ajudar, pessoas que pararam no tempo, pessoas que no dinheiro se afundam, pessoas que não amam...
E de fato eu não tenho nada haver com isso, não posso lidar com o mundo e com a vida dos outros, mas eu percebo cada dia mais o quanto a decisão do outro me afeta, a cada dia uma morte nova, uma lei nova, uma bíblia nova... regras... E nisso me sinto definhar, meu corpo não aguenta, meu rosto envelhece, minha energia se esvai...
Ok são situações master com a quais eu realmente não consigo lidar, pelo menos não sozinho... Mas mesmo em situações mais próximas de mim, me vejo preso, confinado...
Eu sei que posso mais, que eu preciso crescer, mas fico preso a telefonemas, turmas, problemas dos outros que tenho que resolver... São coisas que não aguento mais...
Preciso me curar dessa cegueira e de pensar em coisas pequenas que não vão trazer nada de bom pra mim, por que as pessoas ao meu redor usam da minha força pra que elas cresçam ou para se manter.
Queria só caminhar sem ter que me preocupar se alguém deixou de pagar ou não, ou das tarefas dos dias que virão.
Aos 18 anos, sou o tipo de pessoa que não consegue sair pra ir pro cinema, que não vê os amigos, que num sabe o que é um encontro... Eu realmente não sei o que é ter tempo para ser livre, para ser eu, as pessoas com quem saio, as pessoas com quem me relaciono, as pessoas com quem trabalho... Vem todas do mesmo lugar, da mesma situação... E as pessoas que conheço por conta própria somem e desaparecem da minha vida por não aguentar minha realidade.
Eu estou realmente farto de tudo,  o desejo de abandonar tudo é tão grande, mas a unica coisa que me prende é a realidade frágil que por tão pouco seria corrigida mas por muito ela não se corrigi, sendo assim eu permaneço aqui.

Continue Lendo ►